Oi?! Justiça nega pedido de prisão de William Bonner por incentivo à vacina

Parece brincadeira, mas não é. Uma ação na justiça pediu a prisão de William Bonner, apresentador do Jornal Nacional. O motivo? Um homem classifica a atuação do apresentador e de alguns jornalista da Globo como suposta organização criminosa por esclarecer os impactos positivos da vacina no combate à pandemia de covid-19.

A petição judicial foi feita por Wilson Issao Koressawa. Ele alegou que o material apresentado na Globo induziria as pessoas ao suicídio, causar epidemia, mediante a propagação de germes patogênicos e de envenenar água potável, de uso comum ou particular.

O autor ainda solicitava que Bonner fosse afastado do cargo ou ficasse proibido de incentivar a vacinação obrigatória para crianças e adolescentes, com a exigência do passaporte sanitário.

A juíza Gláucia Falsarella Pereira Foley considerou o pedido “descabido” e ainda criticou o tipo de pedido. Na visão da meritíssima, a Justiça não pode “afagar delírios negacionistas, reproduzidos pela conivência ativa — quando não incendiados — por parte das instituições, sejam elas públicas ou não“, sentenciou.

A sentença ainda considera que o autor não tem legitimidade para solicitar a prisão preventiva de Bonner, já que os crimes que foram citados são de ação penal pública, e diz, ainda, que a representação não é compatível com a vara criminal à qual foi submetida, o Juizado Especial Criminal de Taguatinga (DF).

Outro pedido feito por Koressawa foi a suspensão da vacinação obrigatória do país, especialmente de crianças e adolescentes, além da exigência do passaporte de vacinação, “até que sejam realizados exames periciais dos componentes de todas as vacinas”.

Após não ter nenhuma das solicitações atendidas, o pedido do autor ainda foi arquivado.

TELEGRAM: RECEBA O CONTEÚDO DO AC EM TEMPO REAL!

INSCREVA-SE NO CANAL DO AUDIÊNCIA CARIOCA NO YOUTUBE!

GOOGLE NOTÍCIAS: SIGA NOSSA PÁGINA E RECEBA AS INFORMAÇÕES DO AUDIÊNCIA CARIOCA

Imagem [capa]: Reprodução TV

Advertisement