‘Paraíso’: Antenor fica pistola e humilha Xavier por memorando: “burro”

O plano de Paula (Alessandra Negrini) e Daniel ( Fábio Assunção) vai dar certo em Paraíso Tropical. O casal vai achar o memorando que prova a inocência de Isidoro (Othon Bastos) e está em poder Marion (Vera Holtz), que chantageia Xavier (Roberto Maya). Quem vai ficar pistola com o aparecimento do documento é Antenor (Tony Ramos).

O memorando mostra que Xavier negou a compra de uma peça para o elevador, após o pedido do avô de Paula. Depois disso, um acidente no equipamento fez com que Isidoro fosse dispensado dos seus serviços e pagasse uma conta por 20 anos, mesmo sem ter culpa.

Paula aproveita que Marion foi à festa de inauguração do espaço Duvivier para assumir a vaga de Taís (Alessandra Negrini) e consegue vasculhar o apartamento da vigarista.

Após muito remexer, ela encontra o papel que tanto Isidoro necessita e vai correndo levar ao avô e à Fabiana (Maria Fernanda Cândido). Eles vão entrar com uma ação indenizatória contra o Grupo para delírio de Antenor.

ANTENOR HUMILHA XAVIER: “BURRO”

O empresário ficará pistola ao ver que Xavier mentiu para ele durante duas décadas sobre o ocorrido. Recentemente, Antenor juntou Daniel e Xavier para comentarem sobre o caso. Ele não queria ver o nome da empresa em uma ação judicial tão delicada, mas também não queria encher o bolso de quem não tem razão.

Só que Xavier mentiu, dizendo que o tal memorando citado por Isidoro não existia, ciente de que Marion tinha o papel em mãos para chantageá-lo.

“O advogado ligou e disse que viu o tal documento que você [Xavier] disse que não existe, que você jurou disse que nunca existiu, que você nunca havia despachado, que você nunca havia visto, onde você nunca tinha assinado uma linha. Exatamente a linha onde você com esse seu punho imbecil a recusa da compra de uma peça que fez o elevador, meu elevador, do meu edifício, cair com um homem dentro”, inicia Antenor.

O dono do Grupo Cavalcanti cospe ainda mais os marimbondos e fala que sempre teve certeza que Xavier não prestava, mas não acreditava que ele fosse burro:

“Eu sei com quem eu estou lidando… Mas, Xavier eu não sabia que você era tão burro! Burro! Burro e honesto, pode. Calhorda e esperto, até pode. Mas um homem que sonega documento, um homem que expõe à humilhação pública todo esse grupo. Só pra economizar a indenização de um operário, que tinha direito a ela. Quem faz isso é canalha e burro. E canalha e burro não pode, Xavier“, grita Antenor.

Além de esbravejar, Antenor demitirá Xavier sumariamente e ordena que ele saia imediatamente do prédio: “Você está demitido a quinze minutos já, já que eu não posso demiti-lo retroativamente há vinte anos”, conclui, aos berros.

VEJA TAMBÉM:

GOOGLE NOTÍCIAS: SIGA NOSSA PÁGINA E RECEBA AS INFORMAÇÕES DO AUDIÊNCIA CARIOCA

Imagem: Reprodução TV

Advertisement