Fantástico: Após ser ameaçada, repórter Lívia Torres recebe apoio da ABI

A jornalista Lívia Torres, conhecida do público carioca por participar do RJ1, RJ2 e Bom Dia Rio, foi ameaçada após uma reportagem exibida no Fantástico em 15 de agosto.

A matéria denunciou empresas que usam bitcoins, moedas da internet, e citou a empresa de consultoria de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio.

Na última sexta-feira (27), uma manifestação foi realizada em frente à sede da TV Globo, no Jardim Botânico, na zona sul do Rio. “Ôh, Lívia Torres, cadê você, eu vim aqui só pra te ver!”, gritava um homem no carro de som.

Apesar do pedido de comparecimento da jornalista, ela não se aproximou dos manifestantes. Os presentes queriam confrontar a matéria feita por Lívia no Fantástico.

Neste domingo (29), o Fantástico informou que Glaidson Acácio dos Santos, dono da GAS Consultoria, foi detido pela operação Kryptos após ter cogitado sair do Brasil.

Segundo a reportagem do programa, a empresa teria movimentado ilegalmente R$ 38 bilhões, e Glaidson teria ameaçado amarrar uma repórter da emissora. A ameaça foi revelada em interceptações telefônicas realizadas pela Polícia Federal.

ABI: NOTA DE REPÚDIO

Em nota, a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) diz ter tomado conhecimento das ameaças feitas ao trabalho de Lívia Torres. O órgão voltou a citar o presidente Jair Bolsonaro, que rotineiramente é hostil com o trabalho da imprensa.

” Ameaças a jornalistas têm se multiplicado nos últimos tempos. Em boa medida elas são estimuladas pelo comportamento do presidente Jair Bolsonaro, que hostiliza a imprensa quase diariamente”, disse parte do texto.

Confira a nota da ABI na íntegra assinada por Paulo Jeronimo, presidente da associação.

ABI repudia ameaças a jornalista Com preocupação, a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) tomou conhecimento das ameaças feitas nos últimos dias à repórter Lívia Torres, da Rede Globo, inclusive com a utilização de carros de som.

Essas ameaças são represália a matérias jornalísticas sobre o mecanismo denominado pirâmide, no qual um grande número de pessoas foi lesado. O episódio é gravíssimo e exige providências imediatas das autoridades, identificando e levando à Justiça os responsáveis.

Ameaças a jornalistas têm se multiplicado nos últimos tempos. Em boa medida elas são estimuladas pelo comportamento do presidente Jair Bolsonaro, que hostiliza a imprensa quase diariamente.

A democracia pressupõe uma imprensa livre e é obrigação do poder público impedir qualquer tipo de ameaça ou intimidação. A ABI reafirma seu compromisso com essa bandeira e manifesta sua solidariedade à repórter vítima das agressões.

Paulo Jeronimo – Presidente da ABI

INSCREVA-SE NO CANAL DO AUDIÊNCIA CARIOCA NO YOUTUBE!

GOOGLE NOTÍCIAS: SIGA NOSSA PÁGINA E RECEBA AS INFORMAÇÕES DO AUDIÊNCIA CARIOCA

Imagens: Reprodução Internet

Advertisement