Caso Sikêra Jr.: Polícia quer ouvir responsável pelo jornalismo da RedeTV!

O caso Sikêra Jr. virou um verdadeiro pepino para a RedeTV!. A emissora vem estudando uma forma de resolver o problema, desde que o apresentador xingou a classe LGBTQIA+ em seu Alerta Nacional de “raça desgraçada”.

Segundo informações do colunista Guilherme Beraldo, do Aqui Tem Fofoca, a emissora vem avaliando uma forma de romper o vínculo com Sikêra.

A rescisão custaria R$ 20 milhões ao cofre da RedeTV!, além de um pagamento de R$ 500 mil mensais durante seis anos, tempo vigente do contrato. O acordo é válido até 2027 e, conforme revelou Beraldo, a emissora avalia se houve uma quebra contratual.

CASO VAI PARAR NA POLÍCIA

Além da questão da contratação, a RedeTV! terá que ampliar o seu radar, já que o caso está indo parar na polícia. As autoridades querem ouvir Franz Vacek, superintendente de jornalismo, e Sikêra Jr..

A informação foi publicada em primeira mão pelo portal Metrópoles, através da coluna Leo Dias, e conta que tanto Sikêra como Vacek devem ser intimados a depor nos próximos dias sobre o episódio.

O caso está sendo tratado pela 3ª DP da Polícia Civil de São Paulo (Osasco), após o ativista da causa LGBTQIA+, Agripino Magalhães, oferecer denúncia sobre os ataques homofóbicos feitos por Sikêra na TV.

Vale lembrar que a RedeTV! não puniu Sikêra Jr. e só se posicionou contra as declarações de seu contratado cinco dias após o caso. A nota emitida pela emissora à imprensa foi publicada 24h após diversos patrocinadores deixarem de anunciar na atração e vincular às marcas em conteúdos no Youtube.

Esta semana, Sikêra Jr. decidiu desativar seu Instagram para reformular o conteúdo: agora, o perfil tem apenas seis fotos.

INSCREVA-SE NO CANAL DO AUDIÊNCIA CARIOCA NO YOUTUBE!

GOOGLE NOTÍCIAS: SIGA NOSSA PÁGINA E RECEBA AS INFORMAÇÕES DO AUDIÊNCIA CARIOCA

Imagem: Reprodução TV

Advertisement