Patrícia Abravanel dá um show de desserviço em combate à homofobia

Patrícia Abravanel deu um show de desserviço em combate à homofobia durante a edição do Vem Pra Cá desta terça-feira (1).

A apresentadora tentou justificar comportamentos como o de Rafa Kalliamann e Caio Castro e disse que a comunidade LGBTQIA+ precisa compreender atitudes homofóbicas já que, na sua visão, parte da população não sabe lidar com a pauta progressista.

No último fim de semana, os Rafa e Caio foram detonados nas redes sociais, após compartilharem um vídeo onde o pastor Cláudio Duarte, conhecido por fazer cultos com humor, posiciona-se contra o casamento de pessoas do mesmo sexo. A filha de Silvio Santos tentou atenuar a ação e disse que ter opiniões diferentes “está tudo bem”:

“É um conflito de gerações! Acredito que nós mais velhos, que fomos criados por pais mais conservadores, a gente está aprendendo e se abrindo. Mas é um direito [ter opinião contrária]. Por que não concordar em discordar? A gente pode ter opiniões diferentes e está tudo bem… Tudo é muito enfatizado, tudo é muito politizado”, disparou.

Ainda em seu discurso, Patrícia mostrou desconhecimento sobre a causa LGBTQIA+, falando a sigla de qualquer forma.

“Eu não acho que o Caio Castro e a Rafa Kalimann sejam preconceituosos. Acho que foram educados de uma outra forma. Então acho que se os LGBTYTH (sic) querem o respeito, acredito que eles têm que ser mais compreensivos com aqueles que hoje ainda não entendem direito, estão se abrindo pra isso”, disse.

Evangélica, Patrícia mostrou toda a sua dificuldade em falar sobre a homossexualidade dentro de sua casa, mesmo com a amplitude de conteúdos que a ciência oferece esclarecendo o assunto. A titular do Vem Pra Cá tem três filhos, todos frutos do relacionamento com Fábio Faria, ministro das Comunicações do governo Bolsonaro:

“E é difícil quando a gente vai educar filhos e falar sobre disso, sabia? Eu vou falar para todo o pessoal do LGBTC (sic): ‘o que eu vou falar pro meu filho?’. Como falar?… A gente não sabe lidar! Então tem que ter respeito compreensão, e não massacre. Não cancelamento. Não por força, por poder, “, completou.

GOOGLE NOTÍCIAS: SIGA NOSSA PÁGINA E RECEBA AS INFORMAÇÕES DO AUDIÊNCIA CARIOCA

Imagem: Reprodução TV

Advertisement