Nike acusa Neymar de não colaborar com investigação de assédio. Craque responde

Neymar voltou a entrar no olho do furacão, após nova denúncia de assédio. Há dois anos, também na véspera da disputa da Copa América, o atacante foi acusado por Najila Trindade do mesmo delito, mas acabou inocentado. Desta vez, a acusação envolve a Nike.

A empresa de material esportivo confirmou que rescindiu o contrato com Neymar após o jogador não colaborar com as investigações de uma denúncia de assédio sexual.

O caso teria ocorrido em 2016 e envolveu uma funcionária da Nike. A identidade da delatora foi preservada e ela só procurou a empresa para falar sobre o caso em 2018.

O motivo do rompimento comercial com Neymar foi confirmado por Hilary Krane, conselheira geral da Nike, durante entrevista Wall Street Journal, jornal norte-americano.

“A Nike encerrou seu relacionamento com o atleta porque ele se recusou a cooperar em uma investigação de boa-fé de alegações confiáveis feitas por uma funcionária de irregularidades cometidas”, disse Hilary. Ciente da repercussão do caso, a Nike também se posicionou:

“A investigação foi inconclusiva. Não emergiram fatos suficientes que nos permitam falar substancialmente sobre o assunto. Seria inapropriado para a Nike fazer uma declaração acusatória sem poder oferecer fatos que a suportem. A Nike encerrou sua relação com o atleta porque ele se recusou a cooperar em uma investigação de boa-fé de alegações críveis de uma funcionária. Continuamos respeitando a confidencialidade da funcionária e reconhecemos que essa tem sido uma longa e difícil experiência para ela”, informou.

Diante de um novo caso envolvendo seu nome a denúncia de assédio, o craque brasileiro usou o Instagram para tentar se defender do ocorrido e reclamou da Nike.

Neymar e o pai, que é seu empresário, negam as acusações. O contrato com a Nike foi interrompido em 2018, quando havia mais oito anos de duração. Em seguida, Neymar fechou com a Puma.

Confira a nota oficial de Neymar sobre as acusações da Nike:

Os fatos podem ser distorcidos porque as pessoas os enxergam de ângulos diferentes. Não temos como negar que a vida é assim. Faz parte!

Até entendo quando alguém faz uma crítica sobre minhas condutas, minha forma de jogar e de viver a vida. Somos diferentes!

Eu realmente não entendo como uma empresa séria pode distorcer uma relação comercial que está apoiada em documentos. As palavras escritas não podem ser modificadas. Elas sim são muito claras. Não deixam dúvidas!

Desde os meus 13 anos, quando assinei meu primeiro contrato, sempre fui alertado: não fale sobre os seus contratos! Contratos são sigilosos!

Contrariar essa regra e afirmar que o meu contrato foi encerrado porque não contribuí de boa-fé com uma investigação isso é absurdo, mentiroso. Mais uma vez sou advertido que não posso comentar em público. Indignado vou obedecer!

Mas a matéria do WSL é muito clara. Em 2016 parece que já sabiam desse acontecimento. Eu não sabia!

Em 2017 viajei novamente para os EUA para campanha publicitária, com as mesmas pessoas, nada me contaram, nada mudou!

Em 2017, 2018, 2019 fizemos viagens, campanhas, inúmeras sessões de gravação. E nada me contaram.

Um assunto com tamanha gravidade e nada fizeram.

Quem são os verdadeiros responsáveis?

Não me deram a oportunidade de me defender. Não me deram a oportunidade de saber quem é essa pessoa que se sentiu ofendida. Eu nem a conheço. Nunca tive nenhum relacionamento. Não tive sequer oportunidade de conversar, saber os reais motivos da sua dor. Essa pessoa, uma funcionária, não foi protegida. Eu, um atleta patrocinado, não fui protegido.

Até quando?

Ironia do destino continuarei a estampar no meu peito uma marca que me traiu.

Essa é a vida!

Sigo firme e forte acreditando que o tempo, sempre esse cruel tempo, trará as verdadeiras respostas.

Fé em Deus!

GOOGLE NOTÍCIAS: SIGA NOSSA PÁGINA E RECEBA AS INFORMAÇÕES DO AUDIÊNCIA CARIOCA

Imagem: Instagram

Advertisement