A Viagem: Tato mostra ira contra Otávio e diz que deixará de assinar o nome do pai

Mimado e com dor de cotovelo, Tato (Felipe Martins) vai dar mais um show de arrogância dentro de casa. Além de não aceitar a morte de Otávio (Antônio Fagundes), o jovem é facilmente influenciável por Alexandre (Guilherme Fontes).

Tato não foi contemplado pelo testamento com poder de decisão sobre os bens do pai. Apesar de ter sido agraciado com um patrimônio pomposo, ele queria mandar. O escritório de advocacia é seu grande objetivo, mas, por ora, terá que cumprir regras estabelecidas por Queiroz (Ricardo Petraglia).

Em casa, Tato vem tratando mal Dudu (Daniel Ávila) e os funcionários da casa, incluindo Glória (Denise Del Vecchio), que sempre foi uma espécie de mãe para os meninos.

Conversando com um amigo, Tato cogita a possibilidade de anular o testamento do pai. O que dificilmente aconteceria, porque além de não ser prejudicado no termo, Otávio era um dos melhores advogados do país e sabia lidar com este tipo de questão jurídica.

Tato também não aceita os investimentos feitos pelo pai em obras de caridade e pela sociedade da locadora ter ido parar na mão de Carmem (Suzy Rêgo). Mais centrado mesmo sendo uma criança, Dudu lembra que o pai não deixou eles com uma vida muito confortável.

Irredutível, Tato também vem tratando mal outros funcionários da casa e descontando tudo na bebida. Sua última decisão será parar de assinar o nome “Jordão“, oriundo do pai.

Agora em diante, eu não me chamo mais Otávio César Jordão Júnior. Eu vou assinar Otávio César de Alcântara, o sobrenome da minha mãe“, dispara, acrescentando que será um advogado mais famoso e mais rico que o pai.

Em breve, Tato se envolverá em uma treta com Alberto (Cláudio Cavalcanti) que vai pedir um basta nos maus tratos contra Dudu.

VEJA TAMBÉM:

GOOGLE NOTÍCIAS: SIGA NOSSA PÁGINA E RECEBA AS INFORMAÇÕES DO AUDIÊNCIA CARIOCA

Advertisement