Jornalista afirma ter sido perseguida no supermercado Extra: “Sinto-me violentada!”

A jornalista Paula Gessica foi às redes sociais na tarde desta quarta-feira (3) para reclamar da tratativa recebida por um segurança do Supermercado Extra, no Largo do Machado, na zona sul do Rio.

A repórter disse que foi perseguida por um dos vigias da unidade durante as compras. Ela estava na companhia de seu filho, que é menor de idade.

“Eu no Supermercado Extra, no Largo do Machado, junto ao meu filho realizando a compra do nosso almoço. Como toda pessoa que tem as compras como uma das partes da responsabilidade da casa, a gente vai comprando além da conta por causa das ‘ofertas’… Eu fui perseguida em cada departamento da loja pelo rapaz que aparece bem atrás do meu vídeo, certamente recebeu orientação por parte dos dirigentes quanto ao perfil dos clientes! Eu marquei bem esta data e hora. Me sinto violentada !”, escreveu a jornalista.

O Audiência Carioca conversou com Paula Gessica, momentos após a postagem no Instagram. A jornalista informou que ainda não foi procurada pelo Extra, mesmo tendo marcado a empresa na publicação.

Questionada sobre uma eventual cena de racismo, Paula respondeu: “Certamente…me Olharam pela cor da minha pele, pelo meu cabelo e a minha roupa”, informou, acrescentando que vestia uma roupa despojada por conta do calor que faz no Rio.

O Audiência Carioca procurou o Extra, através dos contatos deixados pelo mercado em sua página oficial. O WhatsApp da empresa informou que o “canal de atendimento é direcionado para pós-vendas”.

Questionada se havia um contato de assessoria de imprensa que atendesse a empresa, a atendente do Extra informou que o caso precisa ser tratado através de telefone da Central de Atendimento e que a empresa não faz uso de e-mail para contatos, ainda que seja um assunto relacionado à imprensa.

O Audiência Carioca, então, procurou o Grupo Pão de Açúcar, responsável pelo Extra. A assessoria que atende o grupo informou que recebeu o caso e que vai apurá-lo.

Em nota enviada na noite desta quarta-feira (3), o Grupo Pão de Açúcar acrescentou:

“O Mercado Extra informa que, tão logo tomou conhecimento sobre o ocorrido, acionou imediatamente a loja iniciando um processo interno de apuração. O relato da cliente não condiz com os procedimentos da rede, que preza, acima de tudo, pelo total respeito às pessoas, conforme estão claros em seu Código de Ética e sua Política de Diversidade e Direitos Humanos, proibindo e condenando qualquer atitude discriminatória. O Mercado Extra reitera, ainda, que treina continuamente todos os seus colaboradores e prestadores de serviço para o respeito de suas diretrizes. Dessa forma, a empresa lamenta o ocorrido descrito pela cliente e esclarece que iniciou um processo de apuração para verificação dos fatos e está em contato com a cliente para inseri-la no processo de apuração.”

A publicação de Paula Géssica está disponível em sua conta oficial no Instagram.

[Atualização 03/03/2021 – 22:54].

GOOGLE NOTÍCIAS: SIGA NOSSA PÁGINA E RECEBA AS INFORMAÇÕES DO AUDIÊNCIA CARIOCA!

Imagem: Reprodução TV / Instagram

Advertisement