Bolsonaro volta a ofender a imprensa e diz que jornalistas têm chances menores de sobreviver à covid-19

Apesar do país registrar mais de 114 mil mortos por coronavírus e 3,6 milhões de infectados, Jair Bolsonaro resolveu promover e participar de um evento batizado de “Brasil Vencendo a covid-19”. O encontro aconteceu nesta segunda-feira (24).

Sem dar muitos detalhes sobre as estatísticas que assombram o país, Bolsonaro, mais uma vez, resolveu atacar profissionais da imprensa que estavam no local.

“Era um jovem aspirante do Exército Brasileiro (em 1978 quando salvou um colega), tinha 23 anos, sempre fui atleta das Forças Armadas. Aquela história de atleta, né, que o pessoal da imprensa vai para o deboche, mas quando pega (coronavírus) num bundão de vocês, a chance de sobreviver é bem menor”, debochou Bolsonaro.

“Só sabe fazer maldade, usar a caneta com maldade, em grande parte. Tem exceções, né, como aqui o Alexandre Garcia (jornalista da CNN Brasil). A chance de sobreviver é bem menor do que a minha”, completou.

Um dia antes, Bolsonaro não gostou quando foi questionado por um repórter de O Globo porque Fabrício Queiroz havia depositado R$ 89 mil na conta de Michelle Bolsonaro. Como resposta, o presidente disse que tinha vontade de dar um soco no profissional. A atitude rendeu críticas de membros da sociedade civil e da Associação Brasileira de Imprensa (ABI).

Imagem: TV Brasil