Adele Fátima recorda racismo sofrido na TV e durante relação com Julio Iglesias

Sempre bem humorada e com o alto astral elevado, Adele Fátima lembrou que nem tudo foi um mar de flores em sua carreira. A atriz, que já serviu de inspiração para o desenho da Praça da Apoteose feito por Oscar Niemayer, revelou um momento racista e que acabou gerando muito constrangimento.

Em entrevista ao canal do repórter Wellington Andrade, Adele contou que ficou sabendo de um concurso em uma emissora do Sul do país onde uma das condições era ser filha de alemão. Muita gente não sabe, mas o pai da veterana é alemão e seu nome completo é Adele Fátima Hahlbohm.

“Eu estava em um programa de televisão e o apresentador falou que estava havendo um concurso lá em Santa Catarina. A colônia (alemã) estava dando um grande prêmio. Eu falei: ‘Atriz pode (concorrer)?’ . Disseram que pode e que era só ter o sangue alemão. Eu falei: ‘Então eu quero’. Riram ele e o auditório. Eu fiquei muito triste e quando deu o intervalo mostrei minha carteira de identidade e que eu era filha de alemão”, revelou sem contar o nome da emissora e do comunicador.

PRECONCEITO AO LADO DE JULIO

Adele também relatou que já passou por algumas situações chatas durante o noivado com Julio Iglesias. Durante a relação, o então casal chegou a ir a um hotel de São Paulo e a atriz foi proibida de entrar no local acompanhada de Julio sem grandes justificativas.

“Quando cheguei a um dos hotéis, que estava estreando em São Paulo, muito bonito por sinal, o porteiro disse: ‘Ele entra e você, não’. Ele (Julio) perguntou o que aconteceu. Eu disse: ‘Não sei. Ele falou que eu não posso entrar. Não pediu documento, não pediu nada’. Ele (Julio) disse: ‘Mas ela é minha noiva’. E ele respondeu que eu não ia entrar e que eram ordens do estabelecimento”, contou.

Adele disse que só conseguiu entrar ao local graças a um contato de Julio Iglesias, que acabou contornando a situação e a atriz pode entrar ao local.

“Eu sei que ele (porteiro) estava recebendo ordens. Mas tudo é jeito de falar, não é?… Tem gente que fala que o negro é o maior inimigo do negro,ele que tem o racismo. Eu não acho. Eu acho que o racismo é espalhado por negro, por branco, por mestiço, por cafuso, com tudo. É misturado. As pessoas, simplesmente, não se enxergam. Enxergam a cor da pele e isso é muito ruim”, concluiu Adele.