Réveillon do Rio terá homenagem a profissionais de saúde e silêncio por vítimas da covid-19

O Rio de Janeiro terá que se adequar ao novo normal para cumprir, com honras, a festa de Réveillon de 2020 para 2021. Após o anúncio do que a festa em Copacabana não aconteceria, Prefeitura do Rio decidiu adaptar a maior festa na Cidade Maravilhosa.

O prefeito Marcelo Crivella anunciou que dois atos vão acontecer na virada. Os médicos e profissionais de saúde que atuaram na linha de frente contra a covid-19 serão homenageados. Também haverá um minuto de silêncio em respeito às vítimas fatais da doença. Até aqui, o coronavírus já matou mais de 96 mil pessoas no Brasil.

A ideia das autoridades municipais é não causar aglomeração. Assim sendo, o planejamento será dividir os fogos em diversos pontos da cidade. Entretanto, Copacabana, principal palco do Réveillon, deverá ficar de fora. Cristo Redentor, Botafogo, Barra da Tijuca, Aterro do Flamengo e Ilha do Governador deverão receber a queima de fogos.

Shows virtuais, incentivando que as pessoas fsigam em casa, também devem ser agendados. Só em Copacabana, a Riotur estimou ter recebido 3 milhões de cariocas e turistas para assistir os fogos na orla.

Imagem: Agência Brasil