Rogério Coutinho conta detalhes do resgate dramático no Cais do Valongo

O resgate de um profissional da Comlurb, que sofreu uma descarga elétrica dentro do Cais do Valongo, na última quarta-feira (22), foi um dos momentos marcantes da semana passada. O repórter Rogério Coutinho, da TV Globo, e Ricardo, um funcionário da companhia de limpeza, precisaram entrar dentro da água suja para salvar a vida de Reginaldo, que estava submerso por 40 segundos.

Em entrevista ao canal do jornalista Wellington Andrade, no Instagram, nesta segunda-feira (27), Coutinho revelou os momentos dramáticos daquele dia:

“Eu só entrei depois que o Ricardo conseguiu puxar a bomba d’água. Aí quando a bomba d’água sai, ela sai soltando faísca… Eu deduzi o que estava dando choque era a bomba d’água. Em uma ingenuidade, eu ainda, antes de entrar, passei a mão na água, com os pés na parte seca, e entrei. Cheguei no corpo dele e não consegui alcançar o corpo. Aí o Ricardo chegou, em seguida, e deu um primeiro tranco na mão. Juntos, a gente conseguiu tirá-lo”, detalhou.

Já fora da água, os momentos seguintes ainda preocuparam Rogério Coutinho e Ricardo, que não tinham experiência detalhada em primeiros socorros.

“Ele (Reginaldo) saiu com os olhos virados, a gente até achou que ele estava morto, porque não respirava. Depois de uns quinze segundos, ele começou a respirar… Eu só dizia: você é forte! Ele começou a respirar e, após uns quarenta segundos, o olho dele voltou ao normal…. De olhos fechados, ele acenou com a cabeça. Foi a hora que deu um alívio”.

Coutinho contou que, na sequência, duas médicas e a guarda municipal chegaram para dar todo o suporte no primeiro atendimento clínico. A ambulância chegou quarenta minutos depois. Após o resgate, o jornalista passou a ter contato com Reginaldo e os dois vêm conversando nos últimos dias.