Lucélia Santos sobre a covid-19: “Voltar ao normal é parar de morrer gente!”

Lucélia Santos mostrou toda a sua indignação com a maneira que muitas pessoas vêm encarando a pandemia do novo coronavírus. Altamente politizada e preocupada com as causa sociais, a atriz participou de uma ‘live’ com o repórter Wellington Andrade, no Instagram, na última segunda-feira (13).

Durante o bate papo, Lucélia se mostrou preocupada com o comportamento de alguns cidadãos na pandemia do coronavírus. Ela ressaltou sobre a irresponsabilidade de personalidades que vem minimizando o uso da máscara nas ruas.

“A confusão que se criou na sociedade, na cabeça das pessoas, pela não governância, levarem as pessoas a atalhos mortais. Dizer as pessoas que ‘não usem máscaras’ é querer matá-las. É querer fazer com que elas sejam contaminadas… Isso é contra a humanidade. Isso tem que ser avaliado e julgado por um tribunal de direitos humanos”, opinou.

Lucélia acha que é preciso avaliar a retomada das atividades e a flexibilização da rotina diária. “Eu entendo isso [voltar ao trabalho], porque todo mundo precisa ganhar o seu dinheiro, a sua sobrevivência. As contas continuam chegando e as pessoas têm que arranjar o seu dinheiro para continuar a vida. Só que você não pode trocar a sua vida por essa urgência de ter que sair correndo de qualquer maneira, loucamente, para a rua… Voltar ao normal é parar de morrer gente!”, ponderou.

A atriz milita há 30 anos nas causas indígenas no Brasil e aproveitou para divulgar a campanha SOS Xavante. A covid-19 vem atingindo esta população e o projeto visa arrecadar fundos para que uma Unidade Avançada de Saúde possa ser instalada próxima às aldeias Xavante, em Mato Grosso. Ao todo são 22 mil indígenas em situação de vulnerabilidade nas aldeias.