Grupo Globo, Folha e UOL formam parceria para dar transparência a números do Coronavírus

Após o Ministério da Saúde restringir o acesso de números oficiais sobre a pandemia do novo Coronavírus, os veículos de imprensa do Grupo Globo e do Grupo Folha se reuniram para, juntos, contabilizar as estatísticas e divulgar ao público a evolução da doença.

Fazem parte do projeto a TV Globo, o G1, o UOL, O Globo, o Jornal Extra, O Estado de S. Paulo e a Folha de S. Paulo. A ideia é formar uma parceria para que, juntos, possam buscar as informações necessárias sobre a doença em todos os 26 estados brasileiros e o DF.

INFORMAÇÃO COMPARTILHADA

A iniciativa é inédita e os veículos vão dividir tarefas e compartilhar informações sobre quantos testes positivos de Coronavírus foram realizados nas últimas horas no Brasil.

“A missão do jornalismo é informar. Em que pese a disputa natural entre veículos, o momento de pandemia exige um esforço para que os brasileiros tenham o número mais correto de infectados e óbitos”, diz Ali Kamel, diretor de jornalismo da TV Globo, da GloboNews e do G1.

O balanço informativo será diário e divulgado sempre às 20h, meia hora antes do início do Jornal Nacional, telejornal de maior audiência no país. Em nota, o Jornal O Globo informou que a informação estará liberada a todos os internautas, ainda que não sejam assinantes.

“Neste momento crucial, deixamos nossa concorrência de lado por um bem comum: levar à sociedade o dado mais preciso possível sobre a pandemia. Essas informações orientam as pessoas e as políticas públicas. Sem elas, o país mergulha em um voo cego. O jornalismo cumprirá seu papel”, informa Alan Gripp, diretor de redação de O Globo.

“O jornalismo tem a missão de levar à população os números mais precisos sobre a pandemia. É fundamental conhecer a real extensão dos fatos. Esses dados são decisivos para que as pessoas saibam como agir nesse momento tão difícil”, considera Humberto Tziolas, diretor de redação do Extra.

MINISTÉRIO DA SAÚDE ALTERA DADOS

Desde a última sexta-feira (5), o governo federal tem tido atitudes que colocam em xeque a forma de contabilizar os casos da Covid-19. No domingo (7), o site do Ministério da Saúde lançou duas vezes a estatística do dia e, em uma delas, diminuiu 857 mortos pela Covid-19. Também foram ocultados os consolidados desde o início da doença.

“Numa sociedade organizada como a brasileira, é praticamente impossível omitir ou desfigurar dados tão fundamentais quanto o impacto de uma pandemia. Com essa iniciativa conjunta de levantamento de dados com os Estados, deixamos claro que a imprensa não permitirá que nossos leitores fiquem sem saber a extensão da covid-19”, diz Sérgio Dávila, diretor de redação da Folha.

“É nossa responsabilidade cotidiana transmitir informações confiáveis para a sociedade. E, agora, no momento mais agudo da pandemia, precisamos assegurar à população o acesso a dados corretos o mais rápido possível, custe o que custar”, considera Murilo Garavello, diretor de conteúdo do portal UOL.

“É triste ter que produzir esse levantamento para substituir uma omissão das autoridades federais. Transparência e honestidade deveriam ser valores inabaláveis na gestão dessa pandemia. Vamos continuar cumprindo nossa missão, que é informar a sociedade”, informa João Caminoto, diretor de jornalismo do Estadão.