Ex-cozinheira de Fátima Bernardes e William Bonner revela relação conturbada com os patrões

A entrevista de Mirtes, mãe do menino Miguel (5), morto após cair de um prédio em Recife, ao programa Encontro com Fátima Bernardes, desagradou a uma pessoa em especial. Trata-se de Léa Silva, ex-cozinheira da apresentadora global e seu ex-marido, William Bonner.

Léa fez dois vídeos em sua rede social neste fim de semana, após ver Fátima chorando ao conversar com Mirtes. “Vendo a Fátima entrevistar a mãe do Miguel, vi ela chorando, fazendo caras e bocas. Fiquei aqui pensando: será que ela lembra que eu, que era cozinheira dela, salvei o filho dela de ser queimado? Acho que ela não lembra”, revelou.

“Podia ter deixado o garoto se queimar todo. Pelo contrário, só recebi desaforo do marido dela. Ele se viu ofendido, achou que eu chamei o filho dele de cachorro, porque eu pedi pra colocar uma portinhola na cozinha”, completou Léa.

“Então eu, a pessoa que é preta, podia ter deixado o filho da patroa se ferrar, mas não. Eu atravessei na frente da panela pro Vinícius não se queimar. Os dois mal-agradecidos. Não esqueci não, viu, D. Fátima e S. William Bonner. Vocês, em vez de agradecer, simplesmente cagaram pra o que eu falei”

Em um segundo relato, a cozinheira deu detalhes de um desentendimento com William Bonner. Léa contou que sugeriu que o casal colocasse uma portinhola entre a cozinha e a área social da casa. A ideia, segundo ela, era para que as crianças não corressem riscos. Segundo contou no vídeo, Bonner teria se sentido ofendido e reclamou com a empregada.

MERCADO E CÍUMES

Horas depois, após a repercussão do vídeo, Léa voltou às redes sociais para contar uma nova polêmica entre ela e Bonner. O jornalista ficou irritado ao saber que a cozinheira pediu carona para levar suas compras até a casa da família de Bonner.

“Eu fui no mercado, fazer compras, o motorista deles era o João, que foi motorista do Faustão, e não foi me buscar no Extra… Eu fui ter a infelicidade de pedir carona a uma moça para me levar até o condomínio deles com as compras. A infeliz da mulher, eu não sabia que era uma pessoa conhecida, era irmã do falecido Francisco Milani [ator]. A filha d$#@%% foi lá contar pro William que eu estava pedindo carona na porta do mercado para levar as compras. Eu nem me lembro se ela levou as compras… Quando eu cheguei na casa, ele [Bonner] já estava sabendo do que estava acontecendo”, conta.

Léa revelou que a mulher já havia contado tudo para William Bonner, seu então patrão, e tomou uma bronca onde o apresentador teria dito para “não ousar em falar que trabalhava para ele” e que, caso fosse demitida, existia “um monte aí na frente querendo trabalhar”.

Por fim, a cozinheira revelou que Bonner teria um suposto ciúme da funcionária com o Carlos Henrique Schroder, alto executivo da Globo e que, na ocasião, era responsável pelo jornalismo da emissora. Segundo a ex-funcionária, o diretor sempre ia até a cozinha conversar com ela e isso incomodava o titular do JN.

William Bonner e Fátima Bernardes ainda não comentaram sobre as acusações de Léa Silva.