Aos 63 anos, morre o jornalista Gilberto Dimenstein

Morreu na manhã desta sexta-feira (29) o jornalista Gilberto Dimenstein. Desde o início do ano passado, ele lutava contra um câncer no pâncreas.

Atualmente, Dimenstein atuava no Catraca Livre, site que teve a sua criação. Antes disso, trabalhou na Folha de S. Paulo, na Rádio CBN, Jornal do Brasil, Revista Veja e Correio Brasiliense.

“Morre hoje, 29, o jornalista Gilberto Dimenstein. A luta contra o câncer levou o fundador da Catraca Livre, mas sua determinação em construir uma comunidade mais igualitária, saudável e gentil, continua nesta página”, disse a postagem no Catraca Livre.

Recentemente, o jornalista contou que vivia um dos momentos mais complicados de sua vida. “Vivo o momento mais difícil da minha vida. Estou há oito meses lutando contra um câncer de pâncreas que criou metástase. Estou lutando, ainda vou vencer, mas estou lutando”, revelou em um vídeo.

Dimenstein também era escritor e assinou “O Cidadão de Papel”, que lhe rendeu o prêmio Jabuti de melhor livro de não ficção em 1994. Também escreveu “As Armadilhas do Poder – Bastidores da Imprensa” (em 1990), Meninas da Noite” (em 1992), “Democracia em Pedaços” (em 1996), “Quebra-Cabeça Brasil – Temas de Cidadania na História do Brasil” (em 2003) e “Aprendiz do Futuro – Cidadania Hoje e Amanhã” (em 2005).

Imagem: Divulgação/Catraca Livre