Regina Duarte canta, minimiza ditadura e tenta pôr panos quentes em mortos por Coronavírus

A entrevista exclusiva feira com Regina Duarte, ao vivo, na CNN Brasil não será esquecida tão cedo. O material exibido nesta quinta-feira (7), certamente, entrou para os anais da história da TV brasileira. Entretanto, o registro não foi visto de forma positiva.

Regina ficou 40 minutos ininterruptos na CNN Brasil, direto de Brasília. O tom inicial foi o mais positivo possível. “Eu estou adorando estar aqui, tenho um projeto e quero deixar um legado. Sou um artista, uma pessoa que ama a Cultura e amo o setor. O setor gosta de mim e me ama”, disse Regina.

O clima pesou quando Daniela Lima e Reinaldo Gottino, apresentadores do CNN 360, entraram na entrevista, direto de São Paulo. No fim, Regina disse que não sabia que “outras pessoas” participariam além de Adjunto.

Alguns assuntos delicados foram tocados durante a conversa, dentre eles o período da ditadura militar. Regina minimizou o assunto, comparando as mortes por tortura com outros tipos de mortes existentes no mundo. Por fim, ainda cantou a música ‘Pra Frente Brasil’, sucesso na Copa de 1970.

“Na humanidade, não para de morrer. Se você fala ‘vida’, do lado tem morte. Sempre houve tortura. Stalin, Hitler, quantas mortes… não quero arrastar um cemitério de mortes nas minhas costas”, disparou a secretária, ao ouvir a insistência de Daniel pelas mortes na ditadura.

Regina também tentou tirar o viés ideológico dentro da classe artística: “Pessoal de cultura não tem partido. Eu acho essa coisa de esquerda e direita estão abaixo do patamar da cultura. Tem que olhar pra frente, ser construtivo, amar o país”, tentou explicar.

A confusão final aconteceu quando Gottino e Daniela pediram para ser veiculado um vídeo inédito de Maitê Proença criticando o governo federal e Regina Duarte. Maitê pedia que a colega falasse com a classe artístitica e se posicionasse pela morte de Flávio Migliaccio.

“Quem é você, que está desenterrando uma fala da Maitê de dois meses atrás?”, perguntou equivocadamente. Os jornalistas Daniel Adjunto, Daniela Lima e Reinaldo Gottino tentaram explicar que o vídeo era atual, mas foi em vão.

“Vocês estão carregando um cemitério nas costas. Vocês devem estar cansados. Fiquem leves”, voltou a dizer Regina.

“Nós não estamos desenterrando mortos. Nós estamos enterrando, dentre eles, alguns de seus colegas”, respondeu Daniela.

Regina reclamou com o repórter Daniel Adjunto, achando que só ele conduziria a entrevista. A atriz não gostou da atuação de Reinaldo Gottino e Daniela Lima durante a entrada ao vivo. “Começa a entrar pessoas, a desenterrar mortos”, voltou a frisar Regina.

Advertisement