Deputado denuncia Rodrigo Branco na Alerj: “Senti que, pelo silêncio de muitos, o desejo era que o episódio passasse e caísse no esquecimento”

Os comentários de cunho racista feitos por Rodrigo Branco contra a jornalista Maju Coutinho e Thelma, do BBB 20, podem render uma grave punição.

O Deputado Bruno Dauaire (PSC-RJ), apresentou uma queixa-crime contra Rodrigo à presidência Comissão de Direitos Humanos e Assistência Judiciária da OAB/RJ nesta quinta-feira (2). A denúncia foi divulgada em primeira mão pela colunista Fábia Oliveira, do jornal O Dia.

Contra Thelma, o ex-diretor da Band disparou: “Torcer pela Thelma nem pensar! Torcer pela Thelma é racismo”, disse sobre a disputa do jogo.

As fatídicas declarações foram dadas durante uma live no Instagram com a DJ Ju de Paulla, na última segunda-feira (30).

Incrédula, Ju retrucou a posição do amigo dizendo que ele seria crucificado: “… não vou nada, todo mundo está votando nela porque ela é negra, coitada. Ela semana passada ganhou uma provinha, ficou se achando e humilhou todo mundo”, disse Rodrigo.

O diretor ainda detonou a promoção de Maju Coutinho e considerou que a titular do Jornal Hoje só chegou ao cargo por ser negra.

“É a mesma coisa que falo da Maju Coutinho. Ela é péssima, é horrível. Eu assisti hoje e ela fala tudo errado. Ela só está lá por causa da cor”, disparou.

“Ele é conhecido e amigo de famosos. Senti que, pelo silêncio de muitos, o desejo era que o episódio passasse e caísse no esquecimento. Mas não passará. Ele não pode ficar impune desse crime. Por isso, achei que era um dever encaminhar este caso de racismo às autoridades para que elas possam analisar as atrocidades ditas por esse rapaz e tomar as devidas providências”, disse Dauaire ao ser questionado sobre o motivo de ter abraçado à causa.

O TEOR DA DENÚNCIA

A jornalista teve acesso ao teor do documento entregue na Alerj nesta quinta-feira (2). O parlamentar cita todas as aspas proferidas por Rodrigo e destaca: “Vale ressaltar que toda a conversa estava sendo transmitida ao vivo para milhares de pessoas e o empresário pouco se importava com o que falava, não demonstrando qualquer preocupação com o impacto de suas declarações”, diz o texto.

Dauaire enaltece as carreiras de Maju e Thelma: “Rodrigo Branco pouco se importou com o fato de Thelma, na verdade, Doutora Thelma, ser uma médica formada pela Pontifícia Universidade Católica, e Maju Coutinho, jornalista, apresentadora, comentarista, radialista e repórter brasileira, que desde o dia 30 de setembro de 2019 é âncora do Jornal Hoje da Rede Globo de Televisão. Ambas, mulheres e negras, que dentro de cada profissão, são motivo de orgulho para todos aqueles que lutam por igualdade e justiça social, por estarem em suas respectivas posições, por seu talento e capacidade, independente da cor da pele”, pondera.

O documento público fecha afirmando que Rodrigo Branco cometeu o crime de racismo tipificado na lei nº 7.716, de 5 de janeiro 1989. A pena prevista é de reclusão de dois a cinco anos e multa.

O pedido de queixa-crime foi entregue ao Dr. Álvaro Quintão, Presidente da Comissão de Direitos Humanos e Assistência Judiciária da OAB/RJ, para que sejam tomadas as devidas providências.