Justiça do Rio proíbe campanha de Bolsonaro que incentiva o fim do isolamento

A Justiça do Rio emitiu liminar que ordena que a “União se abstenha de veicular, por rádio, televisão, jornais, revistas, sites ou qualquer outro meio, físico ou digital, peças publicitárias relativas à campanha ‘O Brasil Não Pode Parar'”. A informação foi dada em primeira mão pelo colunista Ancelmo Gois, de O Globo.

A decisão foi proferida pela juíza Laura Bastos Carvalho, da Justiça Federal no Rio de Janeiro, na manhã deste sábado (28). Outras liminares devem ser emitidas em plantões judiciais de outros estados ao longo do dia.

O vídeo já vem circulando por grupos de WhatsApp desde a noite de ontem (27). O governo tinha a intenção de inseri-lo na mídia de massa e nas suas redes sociais oficiais. Caso descumpra a ordem judicial, o Governo Federal terá que pagar multa de R$ 100 mil a cada inserção cometida.

Há a expectativa que Bolsonaro faça um novo depoimento em cadeia de rádio e TV neste fim de semana. Entretanto, há duas correntes dentro do Governo Federal.

Uma delas defende o isolamento vertical, aquela que apenas a classe de risco fiquem em casa, atende a vontade da Presidência da República. A outra, adotada pelo Ministério da Saúde, insiste no isolamento horizontal, ou seja para toda a população.

Bolsonaro pretende bater o pé para que sua vontade seja mantida. Por outro lado, há governistas que acham que, neste momento, o presidente precisa mudar o discurso e pedir que a nação brasileira cumpra a quarentena.