Galvão Bueno: “Talvez eu morresse narrando o gol do Flamengo aos 47 na final da Libertadores”

Um princípio de infarto ocorrido a menos de 48 horas da decisão entre Flamengo x River Plate, pela Libertadores 2019, acabou tirando Galvão Bueno de narrar um dos jogos mais importantes da temporada. Luís Roberto deixou o Brasil para suprir o colega, em novembro de 2019.

O narrador já estava na cidade de Lima para fazer o jogo pela Globo quando passou mal e precisou ser internado. A esposa Desirée Soares acompanhava Galvão na capital peruana, quando precisou acionar uma equipe médica de emergência.

Em entrevista ao Altas Horas, gravada nesta terça-feira (3), o veterano contou detalhes não revelados até aqui:

“Eu tive um infarto. Foi uma artéria secundária. Agradeço a minha mulher por estar comigo. Fomos jantar e comecei a passar mal de madrugada. Achei que fosse uma indisposição. Quando acordei ela começou a tomar as providências. O médico falou ‘vai para o hospital’. Ela me levou porque eu não iria. Para mim era um mal-estar. Começou a doer o peito e o braço esquerdo e achei melhor ir”

Galvão Bueno

Sobre o gol do título marcado por Gabigol, aos 47 minutos do segundo tempo, Galvão revelou que o pior poderia ter acontecido em sua vida: “Falei, doutor, me ajuda. Ele me disse para respirar fundo. Estava doendo para caramba. Talvez eu morresse narrando o gol do Flamengo aos 47 do segundo tempo”, disse para espanto de todos que assistiam a gravação.

A entrevista de Galvão Bueno ao Altas Horas vai ao ar neste sábado (7), logo após o BBB 20.

Advertisement