Fátima Bernardes rebate fala de Paulo Guedes sobre empregadas nos EUA: “Quem diz para onde a gente vai é a gente”

Ainda perplexo com a tamanha falta de tratativa, a imprensa brasileira vem tentando engolir mais uma frase polêmica no Governo Bolsonaro. Desta vez, coube a Paulo Guedes, ministro da economia, soltar uma justificativa desrespeitosa.

“O câmbio não está nervoso, mudou. Não tem negócio de câmbio a R$ 1,80. Todo mundo indo para a Disneylândia, empregada doméstica indo para Disneylândia, uma festa danada. Pera aí. Vai passear em Foz do Iguaçu, vai passear ali no Nordeste, está cheio de praia bonita. Vai para Cachoeiro do Itapemirim, vai conhecer onde o Roberto Carlos nasceu, vai passear o Brasil, vai conhecer o Brasil. Está cheio de coisa bonita para ver”

Paulo Guedes, ontem (12)

A forma como tratou a alta do dólar chamou a atenção da mídia, que vem repercutindo a opinião de Guedes. Fátima Bernardes levou o assunto ao Encontro desta quinta-feira (13) e rejeitou o tom jocoso proferido pelo ministro contra as empregadas domésticas.

Fátima Bernardes aborda a frase de Guedes com a plateia – Imagem: Reprodução Internet

“Eu acho que você pode ir à Disney, você pode ir para o Nordeste, você pode ir a qualquer lugar. Quem diz para onde a gente vai é a gente. Principalmente para as pessoas que trabalham honestamente, tem o direito de ir aonde quer ir”, disse Fátima em seu Encontro.

Vale lembrar que, diariamente, a apresentadora destaca os assuntos que estão sendo mais comentados nas redes sociais. A polêmica frase de Guedes era um dos casos mais falados. Fátima ouviu uma pessoa da plateia que atua no cargo de doméstica e que nunca foi à Disney.

“Não, mas eu não entendi a colocação do ministro. Diminuiu a nossa classe, tenho certeza que foi uma doméstica que criou o filho dele e fez comida para ele. E ela não pode ir pra Disney?!”, rebateu.

A participante informou a Fátima que nunca viajou para fora de sua cidade, mas que pretende, sim, fazer uma viagem com filhos e netos: “Um ministro da economia ter esse tipo de pensamento, não aceitamos”, ponderou.