Eduardo Moura: Na surdina, Rádio Globo desliga mais um sinal AM. E o ouvinte, como fica?!

Indiscutivelmente, a força e a tradição da Rádio Globo, em seus 75 anos de história, foi consagrada pelas ondas do AM. Desde 2017, a emissora vem tentando, aos trancos e barrancos, dar um ar jovem à sua programação. Uma das iniciativas é focar nas transmissões em FM e nas redes sociais.

Desde a semana passada, o Governo Federal deu autorização ao Sistema Globo de Rádio (SGR) para fechar o sinal em AM (1100 AM). A emissora não precisava desligar a frequência imediatamente, segundo informou o diário oficial. Entretanto, o que chamou a atenção foi o desligamento, sem qualquer alarde, ocorrido na noite desta segunda-feira (10).

No Rio, a iniciativa já foi tomada desde o ano passado. Agora, em São Paulo, os tradicionais ouvintes do AM, quase sempre menos ligados em tecnologia atual (nem por isso menos importante!), terão que “se virar nos trinta” para continuarem sintonizados na Globo. A dica é partir para o 94,1FM ou usar a internet.

Embora em menor fatia, a Globo não mostrou nenhuma preocupação com quem ainda se valia do AM em SP.

Como bom exemplo de caso, a Super Rádio Tupi, do Rio, fez a migração definitiva em FM e promoveu uma campanha para estimular seu público. Coisa simples, com efeito e certeira. Comunicadores e vinhetas anunciavam a boa nova.

Apesar de parecer uma tarefa fácil, fica aí registrado mais um simples dever de casa que o SGR teima em não cumprir, dia a dia, em uma rádio que a história ficou em segundo plano.

Eduardo Moura é jornalista e assina o portal Audiência Carioca. E-mails para a coluna, com críticas, elogios e sugestões: clique aqui.