Suspeito de atacar produtora do Porta dos Fundos viajou para a Rússia um dia antes do decreto da prisão

A Polícia do Rio de Janeiro segue à procura de Eduardo Fauzi Richard Cerquise, um dos suspeitos de cometer um ataque contra à produtora do Porta dos Fundos.

O caso aconteceu no dia 24 de dezembro em represália ao especial de Natal do grupo de humor, onde um dos personagens representava Jesus Cristo em uma experiência gay.

De maneira exclusiva, os repórteres Paulo Renato Soares e Leslie Leitão, da TV Globo, descobriram que Fauzi viajou um dia antes de sua prisão ser decretada. O RJ2 e o Jornal Nacional mostraram o suspeito embarcando no Aeroporto Internacional Tom Jobim, em 29 de dezembro. Segundo a reportagem, Eduardo Fauzi tem uma namorada na Rússia.

A Globo exibiu imagens do circuito de segurança mostrando Fauzi desembarcando em um táxi e depois passando pelo Raio-X do aeroporto. No dia seguinte (30), a justiça decretou sua prisão preventiva.

A Polícia fez buscas em endereços residenciais e comerciais tentando encontrar o foragido. Durante a operação foram encontrados R$ 119 mil em dinheiro vivo, uma falsa arma e camisa de cunho político e filosófico.

Durante as investigações sobre o ataque à produtora do Porta dos Fundos, a Polícia chegou a conclusão que Eduardo Fauzi é um dos quatro homens a participar da ação. Após se afastar do local do crime, um homem tira o capuz e as características são similares a Fauzi, segundo a investigação.

Na tarde de ontem (1), um vídeo no Youtube mostrava Eduardo Fauzi onde critica o especial de Natal do Porta dos Fundos e ofende integrantes do grupo, como os humoristas Fábio Porchat e Gregório Duvivier.

Durante sete minutos de imagens, Fauzi chama os atores de “criminosos, marginais e bandidos”. Os ataques à produtora não são comentados na publicação.

Em 2013, o então secretário municipal, Aleksander Costa, foi agredido com um soco por Eduardo Fauzi durante uma entrevista a jornalistas na zona portuária do Rio. Na ocasião, a Prefeitura fazia uma limpa em estacionamentos irregulares na região. Fauzi atuava em um dos estacionamentos e, detido, acabou respondendo o processo em liberdade.

Quem tiver alguma informação sobre o paradeiro de Eduardo Fauzi pode contactar o Disque Denúncia do Rio: (21) 2553-1177 ou 98849-6099 (WhatsApp ou Telegram).