Globo deve promover novas mudanças na faixa do Se Joga

Apesar do Se Joga ser líder de audiência absoluto no Rio de Janeiro, a baixa audiência em São Paulo continua incomodando as pretensões da Globo.

O formato não elevou o público na faixa horária, ao contrário. Além de perder para o A Hora da Venenosa, de Fabíola Reipert, rotineiramente se vê ameaçada pelo SBT, que exibe desenhos. No dia que a criançada está em casa, a briga é boa e, por vezes, a Globo esteve na terceira posição.

Com as férias chegando, o temor de uma derrocada de audiência já toma certa apreensão nos bastidores da emissora. O buxixo é que o programa seja encerrado em janeiro, o que a Globo não confirma.

Segundo informações da jornalista Fábia Oliveira, de O Dia, assim como o Vídeo Show, a atração de Fernanda Gentil, Érico Brás e Fabiana Karla está ameaçada. É o que conta a rádio corredor.

Em outubro, o Audiência Carioca tomou conhecimento que um sonoplasta no Rio foi convidado para trabalhar na atração global. Quando foi sinalizar positivamente para a proposta teria ouvido “Não vem, porque deve acabar no fim do ano”.

Internamente, o estúdio onde ocorrem as gravações ao vivo tem o espaço demarcado até o fim de dezembro. Não houve um novo pedido, até então, de postergar a disponibilidade do local para 2020.

Segundo informações do colunista Guilherme Beraldo, a Globo pensa em voltar a produzir séries de sucesso no horário. A Grande Família deu um bom retorno de audiência, só que já teve todos os episódios em HD exibidos. A possibilidade quente para 2020 é resgatar Tapas e Beijos, com Fernanda Torres e Andréa Beltrão.