Globo intensifica chamadas de divulgação do Jornal Nacional, após ataques de Bolsonaro

O telespectador deve ter reparado que nos últimos dias a Globo vem colocando diversas chamadas de divulgação dos 50 anos de Jornal Nacional. Nunca o principal telejornal da emissora recebeu tantas inserções ao longo do dia e em todos as faixas da programação.

Para quem ainda não percebeu, a chamada acontece de noite, quando várias pessoas estão em casa e toca a vinheta mais famosa do jornalismo brasileiro. No fim, William Bonner emite a seguinte frase de encerramento: “Há 50 anos, se deu no JN é fato”.

A iniciativa aconteceu, coincidentemente, em 31 de outubro, dois dias depois após o Presidente Jair Bolsonaro disparar seu arsenal de críticas contra a reportagem exclusiva do JN sobre o caso Marielle Franco e Anderson Gomes. O bombardeio aconteceu em uma ‘live’ no Facebook, na sequência do jornal, em 29 de outubro.

RELEMBRE O CASO

Nesta data, o repórter Paulo Renato Soares teve acesso a um dos depoimentos dos porteiros do condomínio Vivenda da Barra, onde o profissional alega ter interfonado para a casa 58 e ter ouvido a voz de “Seu Jair” autorizando a entrada de Élcio Queiroz, um dos acusados de matar Marielle e Anderson, no dia 14 de março de 2018.

Horas depois, o Ministério Público do RJ confirmou o depoimento, mas disse que o funcionário mentiu e que não havia confirmações técnicas que Bolsonaro teria atendido o interfone.

O painel da Câmara dos Deputados registrou presença do então deputado federal no dia 14 de março, data do assassinato. O fato contraditório também foi citado por Paulo Renato Soares na reportagem da Globo.

Mesmo apesar das críticas de Bolsonaro, o Jornal Nacional vive seu melhor momento de audiência nos últimos anos, passando, facilmente, dos 30 pontos no Ibope no Rio e em SP.