Produtor do Domingão reclama na justiça de piadas feitas por Faustão

O produtor Renato Oliveira Cardoso, funcionário da TV Globo no programa Domingão do Faustão, vem travando uma batalha de quatro anos contra a emissora na justiça trabalhista.

O processo corre no Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região do Rio de Janeiro (Processo: 0010059-03.2014.5.01.006 / 2015).

Renato passou pela TV Globo durante 14 anos, entre 1998 e 2012. Na ação, o profissional alega ter sido distratado por Faustão durante suas aparições no ‘Domingão’. No pedido de dano moral, Renato alega:

O QUE DIZ O PROCESSO

“… o apresentador, Sr. Fausto Silva, denegria a imagem do Autor de várias formas, tendo sido chamado de ‘galinha’, ‘mulherengo’, inclusive fazendo alusões à imagem do Demandante do tipo: ‘minha senhora se seu marido não dá mais no couro, chama o Renatinho que atenderá suas necessidades…”

“O Sr. Fausto Silva declarava, em rede nacional e internacional, que o Autor ficava rebolando como um gay para um general militar”

“Ocorre que, além de expor o Reclamante ao ridículo em rede nacional e internacional, os comentários do Sr. Fausto Silva iniciaram várias brigas entre o Autor e sua ex-esposa, até o momento em que o “Faustão” declarou ao vivo que o Reclamante foi noivo por oito vezes, o que foi o estopim para o final do casamento do Demandante, sendo certo que a ex-esposa do Reclamante sequer ouviu suas explicações de que tais fatos jamais ocorreram. Ao tentar argumentar com o Sr. Fausto Silva sobre o ocorrido, solicitando ao mesmo que não veiculasse sua imagem com tais afirmações, o ‘Faustão’ informou ao Autor que tal situação não podia mudar, e caso o Reclamante não quisesse mais ser intitulado daquela forma que se afastasse do programa “Domingão do Faustão”, bem como da Reclamada”.

Apesar da solicitação de dano moral, a justiça não concedeu o pedido. Apenas foram autorizados pagamentos relativos à jornada de trabalho.

A defesa de Renato entrou com pedido de recurso pelas ofensas, entretanto, sem novo êxito. Vale lembrar que, embora citado, Faustão não figura como réu. Apenas a emissora responde ao processo.

Em dezembro de 2011, segundo o processo, Renato foi dispensado por Faustão de seu programa e foi trabalhar em produções de dramaturgia da Globo.

Renato Oliveira Cardoso conquistou na justiça valores referentes ao seu trabalho na TV Globo, como horas extras e acúmulo de função.