Fantástico promove encontro das três ‘Lolas’, na véspera de ‘Éramos Seis’. Conheça a história!

Éramos Seis promete emocionar. Pela quinta vez na história da TV brasileira, a trama será mostrada. Em sua nova versão, pela primeira vez na Globo. Em comemoração na véspera da estreia, a emissora decidiu reunir três das atrizes que viveram Lola, a protagonista da história.

A novela é uma inspiração de um livro de mesmo nome lançado em 1943 pela autora Maria José Dupré. A primeira exibição foi na Record TV, em 1958. Na ocasião, Gessy Fonseca (1924-2018) foi quem deu vida à Lola.

Anos mais tarde, a TV Tupi fez a novela por duas vezes, A primeira com Cleyde Yáconis (1923-2013), em 1967, e, a segunda, com Nicette Bruno, em 1977.

A última vez que a novela foi mostrada foi em 1994, quando o SBT investiu pesado na teledramaturgia. Irene Ravache foi a Lola da vez, ao lado de diversos artistas que migraram da Globo para o canal de Silvio Santos.

O ‘Fantástico’ conseguiu reunir as três atrizes vivas para juntas reviverem o trabalho. Glória Pires, a Lola da vez, vai se encontrar com as colegas Irene Ravache e Nicette Bruno. O bate papo será mostrado na edição deste domingo (29), a partir das 21h.

A NOVELA

O remake de Éramos Seis de 2019 é uma obra de Angela Chaves, baseada na obra de Silvio de Abreu e Rubens Ewald Filho. A dupla assinou o projeto em 1994, para o SBT.

A estreia de Eramos Seis no SBT, em 1994

Lola (Glória Pires) é casada com Júlio (Antonio Calloni) e vive em função de sua família. O casal tem quatro filhos. Carlos (Xande Valois/ Danilo Mesquita) é o mais velho e enche os pais de orgulho, por ser um bom aluno e responsável.

Alfredo (Pedro Sol / Nicolas Prattes) é o segundo filho e o mais rebelde de todos. Vive uma eterna rivalidade com Carlos. Tudo para chamar a atenção dos pais. Julinho (Davi de Oliveira/ André Luiz Frambach) é o terceiro filho e mostra, desde cedo, habilidade em lidar com dinheiro.

Isabel (Maju Lima/ Giullia Buscacio) é a caçula e é a predileta do pai, por ser a única menina da família. Trata-se de uma menina independente.

DIFICULDADES DA FAMÍLIA BRASILEIRA

A história se passa nos anos 40 e o casal passa por uma série de dificuldades, como qualquer família brasileira. A preocupação pelas parcelas da compra da casa própria é o que mais preocupa. Se não pagarem, o imóvel pode ser retirado.

Os juros das parcelas são maiores do que Lola e Júlio calcularam. A matriarca acredita que o local é um patrimônio que garante o seio familiar. Ambicioso, o marido diz que a grande dívida impede que a família tenha uma qualidade de vida melhor.

Júlio é um funcionário dedicado e vive em função de uma promoção na alfaiataria onde trabalha. Tudo para tentar ganhar mais dinheiro e dar uma vida melhor aos filhos e a esposa. Lola faz tricô em casa, com o objetivo de complementar a renda e quitar o carnê da casa.

A relação com vizinhos e com familiares também vai abrir outros leques na trama. Preparem os lenços, porque emoção não vai faltar.

Advertisement