Opinião: ‘Bom Dia Brasil’ é um jornal parado no tempo e apagado

O Bom Dia Brasil já viveu seus dias de destaque na programação da manhã na Globo. Antes com forte avaliação nos campos da política e economia no Brasil e no mundo, o jornalístico foi engolido pelo formato informativo nas manhãs.

Hoje o jornalismo local é uma realidade sólida na Globo e Record TV, emissoras com as maiores equipes jornalísticas da TV brasileira. A primeira dedica 3h30 de programação ao vivo. A segunda, vai além: 8h entre programas distribuídos ao longo do dia.

Com esse inchaço de noticiário local, proposto especialmente pela Record TV na última década, a Globo precisou se adaptar às tendências do público. E com isso sobrou para o Bom Dia Brasil, que nos últimos anos saiu das 7h15, passando paras as 7h30, até chegar ao horário atual às 8h.

Além da mudança brusca, o jornal perdeu mais de 20% do seu horário para a programação local. A pegada também mudou. Mesmo fazendo releituras de seus materiais do dia anterior, o conteúdo é basicamente o mesmo exibido nas edições do Jornal da Globo e Jornal Nacional.

Aliás, é à noite que o público está mais interessado em saber sobre os cenários político e econômico do país e do mundo. Pela manhã, já nem tanto. O que importa é a mobilidade. Como está o trânsito? Choveu? Tem rua fechada? Coisas como essas que importam.

A dinâmica do jornal também já não é a mesma. O talento de Chico e Ana Paula Araujo sobra. Mas falta o tempero dos comentários de grandes nomes que sempre estiveram por lá e, agora, deixaram a emissora. Os substitutos também já não gozam do largo tempo dos áureos momentos do ‘Bom Dia Brasil’.

SP, BRASÍLIA E LONDRES

Esse negócio de “Vamos para São Paulo” e “Vamos para Brasília” também não se faz tão necessário nos dias atuais. O que os colegas destas praças podem falar é o mesmo que um âncora pode também dizer.

Ir para Londres também, menos necessário ainda. Uma herança deixada por Renato Machado. Aliás, se há uma vitória de Chico Pinheiro na sua chegada ao Bom Dia Brasil é ter apagado a pegada intelectual que seu anterior deixou. O povão quer ouvir seu estilo de voz de dia a dia. E isso, Chico e Ana fazem bem.

Percebam, ainda, que o estúdio do Bom Dia Brasil é o mesmo há oito anos, desde que Chico Pinheiro chegou ao cargo. Nenhuma novidade até então. É o único programa da Globo que não recebeu repaginada gráfica e física no período.

Se a estratégia é ir matando o jornalístico aos poucos, estão conseguindo.