Apesar de criticar virada de mesa em desfile, São Clemente apoiou permanência de Grande Rio e Império

Muito elogiada por detonar as coisas erradas do Carnaval, a São Clemente simulou uma virada de mesa na Sapucaí. A crítica, bem fundamentada no enredo e na comissão de frente, destoa do posicionamento da escola da zona sul durante a reunião que definiu pelo cancelamento do descenso, ocorrida em 28 de fevereiro de 2018.

Apenas duas escolas se posicionaram contra a virada de mesa: as tradicionais Portela e Mangueira votaram contra o ato. Renato Almeida, presidente da São Clemente, chegou a afirmar, em entrevista ao site Sambarazzo, que as escolas fizeram um carnaval belíssimo e, por mérito, deveriam ficar no grupo especial.

A justificativa para manter a Grande Rio se deu por conta da perda de pontos em alegorias e adereços. Como o último carro da escola da Baixada Fluminense não entrou, a escola não poderia ser penalizada neste quesito. A avaliação negativa poderia acontecer em Enredo.

A Grande Rio tem forte apelo financeiro na Liesa, indispensável em um ano de crise financeira aguda. O apoio pela virada de mesa não teve objeção da Prefeitura do Rio, que investe no evento.

Advertisement