Morre Bibi Ferreira, a eterna dama do teatro brasileiro

A atriz Bibi Ferreira morreu no início da tarde desta quarta-feira (13), no Rio de Janeiro. A diva do teatro brasileiro estava em seu apartamento, no Flamengo, quando sua enfermeira percebeu que os batimentos cardíacos de Bibi estavam abaixo do comum. Um médico foi chamado, mas não foi suficiente para evitar uma parada cardíaca. 

Tina, filha de Bibi, acredita que a mãe morreu dormindo: “Ela amanheceu normal, acordou tomou seu café da manhã e tudo. Depois ela só se queixou que estava se sentindo um pouco com falta de ar. Então como tem enfermeira, tem tudo, tiramos a pressão, o pulso estava fraco. Imediatamente chamamos o Pró-Cardíaco. Eles vieram muito rápido, muito rápido mesmo, ambulância, médico, tudo, mas quando chegaram ela já tinha partido. Ela morreu dormindo, tranquila”, afirmou.

O velório de Bibi Ferreira será no Theatro Municipal, situado na Cinelândia, região central do Rio. Os fãs poderão fazer a última despedida nesta quinta-feira (14), das 10h às 15h. Em seguida, o corpo da atriz será cremado, em cerimônia íntima restrita aos familiares e amigos.

Bibi Ferreira nasceu em 1 de julho de 1922 e é vista como o maior nome do teatro brasileiro. Filha do ator Procópio Ferreira e da bailarina Aída Izquierdo, Abigail Izquierdo Ferreira ganhou, ainda na infância, o apelido de Bibi.

A carreira nos palcos começou aos 20 anos e, a partir daí, a diva se lançou em diversas plataformas. Como gostava de dizer, fazia tudo no melhor que podia. Assim, Bibi se tornou a grande dama do teatro, além de dirigir peças e shows, cantar e fazer programas de TV. 

Em 2003, a história da atriz foi contada pela Viradouro. Em 2018, o espetáculo “Bibi, uma vida em musical”, escrito por escrito por Artur Xexéo e Luanna Guimarães foi um dos mais requisitados do teatro brasileiro.