ANAC informa que helicóptero que transportava Ricardo Boechat não podia atuar como táxi aéreo

As apurações sobre as causas do acidente que matou o jornalista Ricardo Boechat e o piloto Ronaldo Quattrucci já estão acontecendo. Entretanto, a ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) já adiantou que a aeronave não tinha autorização para voar como táxi aéreo.

Segundo a agência, a empresa RQ Serviços Aéreos Especializados, dona da aeronave, não estava autorizada a fazer serviços de atividade remunerada. A exceção se dava apenas em serviços como  “aerofotografia, aeroreportagem, aerofilmagem, entre outros do mesmo ramo”.

A RQ Serviços Aéreos Especializados já havia sido multada no valor de R$ 20 mil, em 2011. Na ocasião, a empresa oferecia voos panorâmicos em um site de compras coletivas pelo valor de R$ 250.

A RQ se defendeu afirmando que “o contrato feito com o site foi direcionado a enviar um e-mail para empresas de aeropublicidade, fotógrafos, construtoras e agências de publicidade com o intuito de filmagens e fotografias aéreas”. Em contato com o site de compras coletivas, o erro foi reconhecido por parte da página e a promoção foi retirada do ar.

A ANAC abriu processo administrativo para apurar o tipo de serviço que estava sendo investigado na hora do acidente com Boechat e Ronaldo.