RJ2 mostra projeto da CET-Rio que favorece condomínio de Crivella

A CET Rio tem em mãos um projeto de criação, no valor de R$ 2,6 milhões, de uma rua que ampliaria o acesso de moradores do Condomínio Península, na Barra. O endereço corresponde à residência do prefeito do Rio, Marcelo Crivella. As informações são do RJ2.

A Associação de Moradores da Barra recebeu com espanto a iniciativa do órgão. Marcos de Castro, representante do Península, questionou ao representante da CET Rio o motivo da proposta.

“Quando o representante da CET Rio foi indagado por mim, ele quis dizer que essa obra foi uma demanda dos moradores. Perguntado onde isso estaria documentado, ele [representante da CET Rio] disse que não sabia e que achava que era dos moradores. Não é. Nós não tínhamos conhecimento nenhum desse atalho”

Marcos de Castro, representante da associação de moradores do Península

O mapa da obra, que ainda não foi aprovada pela prefeitura, mostra um novo percurso para quem sai do Condomínio Península. A Prefeitura pretende construir uma rua alternativa, com saída em cima do posto do Detran-RJ, que fica ao lado da avenida Ayrton Senna. Na engenharia, não ficou claro se a via dentro de órgão estadual seria feita por viaduto ou por dentro do pátio. Veja o projeto.

Imagem: TV Globo

“Nos causa espécie que temos um vizinho ilustre, que seria o prefeito, de repente, esse projeto que seria um atalho de um engarrafamento ser apresentado já como uma obra que vai ser realizada. Nós não queremos ser privilegiados por conta de um morador ilustre. Nós somos iguais a todos os habitantes do município do Rio de Janeiro”

Marcos de Castro, representante da associação de moradores do Península

A Prefeitura do Rio informou à TV Globo que esta obra faz parte de um pacote de medidas para melhorar o trânsito na Barra da Tijuca, anunciado em setembro deste ano. Também afirmou que a obra vai ajudar a diminuir os engarrafamentos na região onde moram mais de 30 mil pessoas.

Sobre a acusação de que a obra beneficiaria Marcelo Crivella, morador do Península, a Prefeitura diz que a afirmação é mentirosa.