Cidinha Campos e Pedro Augusto, figurões do rádio carioca, não se elegem

Atualmente ocupando cadeiras na ALERJ, os radialistas Cidinha Campos (PDT) e Pedro Augusto (PMDB) não terão cargos legislativos a partir de 2019.

A pedetista, postulante ao cargo de deputada estadual, conseguiu 31.205 votos (0,41%). O número foi insuficiente para se manter no cargo. Durante a campanha, Cidinha prometeu que o próximo quadriênio seria o último do seu legado político.

Já Pedro Augusto, após 20 anos à frente da Assembleia Legislativa RJ, tentou, desta vez, disputar uma vaga para a Câmara dos Deputados. O titular da Super Rádio Tupi conquistou 36.382 votos (0,47%) e não se elegeu como deputado federal.

Em novembro de 2017, tanto Cidinha como Pedro Augusto votaram a favor da soltura do ex-presidente da ALERJ, Jorge Picciani, preso na operação Lava Jato.