Após vandalismo, vaquinha promete refazer 100 placas com nome de Marielle Franco

O discurso de ódio parece ser a tática de alguns dos candidatos a cargos públicos no Rio. Moda, esta, que contagia.

Na última quarta-feira, 3, a internet foi tomada por imagens dos candidatos Rodrigo Amorim, concorrente à vaga na Assembleia Legislativa, e Daniel Silveira, postulante à deputado federal, que aparecem vandalizando uma placa simbólica de rua em homenagem à vereadora Marielle Franco, morta em março deste ano. Ambos pertencem ao PSL, partido que tem Jair Bolsonaro como candidato à Presidência da República.

Na publicação no Facebook, os candidatos se mostram orgulhosos com o ato e afirmam que estão restaurando o patrimônio e mantendo viva a memória de Marechal Floriano, nome oficial do espaço onde estava a placa de Marielle.

Pela internet, o site ‘Sensacionalista’ resolveu colocar o dedo na ferida, em resposta ao ato. A página criou uma vaquinha virtual chamada “Eles Rasgam Uma, Nós Fazemos Cem“. O objetivo é reunir fundos para criar cem placas para serem distribuídas na Cinelândia, palco do vandalismo.

Até o final deste nota, mais de R$ 18 mil foram arrecadados. O objetivo inicial é de arrecadar R$ 2 mil, já que cada material gráfico unitário tem orçamento avaliado em R$ 20 cada. O’ Sensacionalista’ não ficará com nenhuma parte da verba reunida.

As placas serão distribuídas gratuitamente na Cinelândia. Ainda não há dia e horário para o ato simbólico.