Entre os cariocas, Museu Nacional trouxe luto, revolta e eleições nas redes sociais

Por volta das 20h da noite do  último domingo (2), o país parou para acompanhar com comoção as chamas que tomavam conta do Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista.

Segundo o especialista Guto Graça, comentarista digital da BandNews Fluminense FM, o tema ‘Museu Nacional’ foi mais citado que a tragédia com o voo da Chapecoense, ocorrida em novembro de 2016.

Para quem acompanhou minuto a minuto o clima quente pelas mídias sociais, nas primeiras horas das chamas foi notado um forte luto pela perda de 90% de todo o acervo.

Já na segunda-feira (3), a chaleira apitou de vez. Com o engajamento de novas notícias dando conta da falta de estrutura e investimentos no museu, a dor do luto deu lugar à revolta.

No fim do dia, em uma plena e agitada campanha política eleitoral por todo o Brasil, o assunto acabou em ofensas partidárias entre apoiadores de seus candidatos e seus ideais.

Uma verdadeira salada eleitoreira como prato cheio a uma população que vive faminta por dias melhores. Lamentável.