Sabatina do JN agita a semana. Confira o que passou e o que vem por aí

Sabatina no JN

A semana começou com a rodada de entrevistas no Jornal Nacional. O ex-presidente Lula, primeiro colocado nas pesquisas, não obteve na justiça o direito de participar da sabatina.

Apenas os quatro mais bem colocados na pesquisa na amostra do Data Folha tiveram a chance de comparecer. Como Lula ficou de fora, Geraldo Alckmin, quinto colocado na apuração preliminar, herdou a vaga petista.

Curiosidade

Conforme acordado previamente, as entrevistas tinham duração prevista de 25 minutos, inicialmente. Como Ciro Gomes estourou o cronômetro, todos os demais adversários tiveram a chance de ampliar o tempo para 27 minutos.

Também ficou previamente definido que nenhum candidato poderia exibir para as câmeras nenhum material gráfico, eleitoral ou não.

Puxadinho

Embora os papos no JN tenham feito mais barulho, os presidenciáveis deram uma esticadinha e marcaram presença também no ‘Jornal das 10’, da GloboNews.

Diferente da TV aberta, onde a contradição pautou a bancada, as perguntas foram voltadas a propostas efetivas. O material está liberado de forma grátis na Globoplay.

Melhores Momentos

As entrevistas no JN renderam aspas que chamaram a atenção na semana.

“Tem a minha confiança cega”, disse Ciro Gomes sobre Carlos Lupi, presidente do PDT. O candidato foi questionado sobre processos respondidos por um dos postulantes a cargos em seu possível governo.

“O meu salário não diz respeito a ninguém”, disse Renata Vasconcelos a Jair Bolsonaro, na terça-feira (28). O político tentou equiparar sua forma de ganhos com a de jornalistas que recebem como pessoa jurídica.

“Você é mais poderoso do que eu”, disse Geraldo Alckmin a William Bonner, na quarta-feira (29). O jornalista citou informações de processos desconhecidas pelo tucano, que replicou dessa maneira.

“Já expliquei, mas parece que você continua com dúvidas”, disse Marina Silva a William Bonner, na quinta-feira (30). A frase surgiu no momento que o Bonner tentava mudar os assuntos e ganhar tempo na entrevista.

Lula

A impugnação da candidatura de Lula aconteceu às 23h13. A Globo só entrou com sua vinheta de plantão 5 minutos depois, apenas no intervalo do ‘Globo Repórter’.

Mudança

A Globoplay mudou a sua logo. A alteração aconteceu no início da semana, quando a série “The Good Doctor” foi lançada. 

Os dois primeiros episódios da série foram mostrados em forma de filme na última segunda (28), e registraram a maior audiência da ‘Tela Quente’ desde 2012.

Para Rio e SP

O duelo entre São Paulo x Fluminense será exibido para as duas praças da Globo: Rio e SP.

Para o confronto, a emissora escalou Cléber Machado, Casagrande e Junior. Paulo Cesar de Oliveira segue, escondidinho, no Central do Apito…

Alias, sobre o Central do Apito…

A saída repentina dos comentaristas de arbitragem deixa um vazio nas transmissões da Globo. Pouco falam e o narrador manda o recado e só. 

O SporTV foi o único que ganhou com a mudança, já que os profissionais dão expediente dobrado.

A exceção é Arnaldo Cezar Coelho, que ainda continua com sua cadeira cativa ao lado dos narradores e aparecendo no vídeo.

Susto ao vivo

Durante a exibição do clássico Avaí x Figueirense, pela série B, o SporTV mostrou o atendimento do torcedor Douglas Cirimbelli no campo de jogo.

O rapaz teve um mal súbito e precisou ser levado a um hospital de Florianópolis de helicóptero. Seu quadro é estável.

RedeTV

A RedeTV trabalha internamente para fortalecer o horário das 18h, agora sem a igreja ocupando a faixa.

Trabalhando a ideia de virar um canal de celebridades, a emissora lançará um programa de fofocas. Mara Maravilha já foi sondada e avalia as possibilidades.

Vai e vem

Após anunciar em sua programação que o ‘Domingo Legal’ iria para as 11h, a mudança foi cancelada. Celso Portiolli segue sua vidinha às 13h. O cancelamento da alteração aconteceu repentinamente no fim da sexta-feira (31).

MARAVILHOSO:  O programa ‘A Roda’, da Globo Rio, mostrou diversos problemas encarados pelos cariocas, em especial com os mais jovens. Foram apenas duas edições que cumpriram bem o dever social da TV. A ideia de transformar em um quadro ou atração por temporada seria importante.

PARA QUE TÁ FEIO: O pessoal do ‘Jornal Nacional’ precisa avaliar sobre a questão do tempo e as intervenções realizadas aos candidatos. O bate-boca, muitas vezes, fica chato, cortam coisas que o público quer ouvir e soa, muitas vezes, mal educado. Não seria melhor parar o tempo toda vez que Bonner e Renata falassem?