Dedé Galvão lança canal no Youtube e fala sobre a carreira na FM O Dia

Um dos grandes nomes do rádio jovem carioca, Dedé Galvão planeja voos mais altos na carreira. O rapaz lançará na noite desta quarta-feira (8) o “Dedélivery”, seu canal de entrevistas no Youtube.

Desde 2010, Dedé é um dos nomes que dão voz à programação da FM O Dia, a maior rádio jovem da cidade. Durante o período, esteve à frente de grandes produtos da casa como a apresentação da “Furacão 2000”, com Jhonatan Costa, e no ‘De Cara’, trabalho de maior destaque, ao lado de Leo Dias e Antônia Fontenelle.

Aliás, a loira será a primeira entrevistada do canal. Jojo Todynho também já gravou sua participaçã. O Audiência Carioca conversou com Dedé, que falou sobre a carreira e como desenvolveu seu novo projeto, o ‘Dedélivery’.

Audiência: E aí, Dedé! Animado para o lançamento do seu canal, agora no Youtube? Conta para a gente como vai ser o ‘Dedélivery’.

Dedé Galvão: Muito animado. Eu sempre gostei do Youtube e sempre fui entusiasta desta rede. Agora podendo fazer um quadro neste espaço, dentro do meu canal,o ‘DedéLivery’, vai ser bem legal. Experiência está sendo muito bacana. Agora eu saio da parte de quem assiste para virar protagonista da rede também.

Audiência: Você já gravou com a Jojo Todynho e a Antônia Fontenelle será a sua convidada na estreia. Como será a seleção dos convidados?

Dedé Galvão: A seleção dos convidados são pessoas que eu tenho acesso, ou tenho contato dos empresários. E aí a gente vai vendo quem está disponível para fazer a entrevista. Eu estou a fim de fazer com várias personalidades. Se eu pudesse escolher todo mundo e todo mundo aceitasse ia ser maravilhoso [risos]. O fato do quadro ser uma carona ao convidado ajuda muito. Porque a pessoa já vai para o compromisso de carro, deixa o seu próprio carro em casa, deixa o Uber de lado e vem comigo. Eu faço esse serviço. Também fica muito mais fácil para a galera aceitar.

Audiência: Essa veia de entrevistador você desenvolveu na apresentação do ‘De Cara’, na FM O Dia? O Leo Dias te deu uma força nesse novo projeto?

Dedé Galvão: Sim, essa veia foi do ‘De Cara’. Não me considero entrevistador. Me acho fraco entrevistando, mas acho que ali no carro fica mais fácil e menos exigente essa entrevista. Eu faço uma pauta e atuo como um pesquisador do convidado. A partir daí eu faço umas perguntas dentro do bate-papo. Foi o ‘De Cara’ quem me projetou pela internet e depois foi a Antônia que fez comigo o ‘Na Cama’, no canal dela no ‘Na Lata’, e me jogou para muita gente no Youtube.

Audiência: Foi difícil montar toda a estrutura de câmera e microfone no automóvel?

Dedé Galvão: Foi. Existem formatos de entrevista no carro, que eu me inspirei, como o ‘Jacaré Banguela’, o ‘Carpool’, dos EUA, o ‘De Carona’… Eu pesquisei, incorporei e fiz o meu na tentativa e no erro. Botei cinco câmeras GoPro, quatro para dentro do carro, para ter bastante ângulo e dar bastante corte, uma câmera externa e lapelei (microfone). Tentativas e erros para a gente conseguir chegar lá. Não tinha um formato para copiar. Isso tudo foi junto com o Igor, profissional que fez minhas animações do canal. Somos uma equipe. Também tem o Bernardo, que faz a parte do edição. O Igor tem boa noção de fotografia, então ele posicionou as câmeras com ventosa. Você consegue ter vários ângulos e isso dá mais dinamismo. Não fica aquela câmera parada no rosto da gente. Você tem uma câmera frontal, uma  lateral, diagonal e outra externa.

Audiência: Você e a Antônia Fontenelle tiveram um contratempo durante uma edição do ‘De Cara’. Felizmente, hoje está tudo bem e você também gravou para o canal dela, o ‘Na Lata’. Aquela entrevista rendeu bons frutos? Sabemos que muita gente fora do Rio passou a te conhecer ali…

Dedé Galvão: A entrevista foi a volta por cima. Nós ficamos amigos depois do fim do ‘De Cara’, eu e a Antônia. Acho que se a gente não tivesse aquela divergência, não seríamos tão amigos hoje. Ela foi muito generosa comigo me chamando pro ‘Na Cama’. A repercussão foi maravilhosa e a galera gostou muito do que viu lá. Isso foi mais um grande incentivo.

Audiência: Você acha que funciona bem no vídeo? Tem vontade de se aventurar na TV, como aconteceu com o Tino Júnior?

Dedé Galvão: O Tino é uma grande referência para mim. É o melhor do rádio carioca. Eu não me imagino fazendo televisão, embora eu goste do veículo. Tenho sonho de participar de vários programas, muito mais na veia de SBT do que no jornalismo. Não me vejo fazendo TV não. O que eu busco fazer no meu canal é mostrar uma nova vertente minha. Sou eu quem roteirizo, dirijo e convido o pessoal. Tudo junto com a equipe que eu citei anteriormente. Eu acabo também fazendo trabalho de produtor, diretor e apresentador. Experiência muito boa, gerar um conteúdo legal e mostrar uma outra veia minha. Mas não estou fazendo pensando em TV. Nem passa pela minha cabeça.

Audiência: Vamos falar sobre o rádio. Você é um dos grandes nomes da FM O Dia. Como surgiu a oportunidade de trabalhar no rádio?

Dedé Galvão: Quem me dera ser um dos grandes nomes da FM O Dia! [risos]. Me considero um radialista normal. Mas com uma visão pouco maior para a internet, simplesmente pelo ‘De Cara’ e por causa da sinergia com Leo Dias. Nós viramos melhores amigos. Isso transparecia no ar e foi o que deu a pimenta no ‘De Cara’. Foi o que me projetou na internet. Por isso que eu acho que dá essa sensação de eu ser um dos grandes nomes da rádio. Eu comecei na Rádio Sucesso, no AM, no programa do Felipe Vieira. Era um programa arrendado e eu fazia participação lá com comentários. Juntei um material e fui convidado para a FM O Dia, para o horário da madrugada. Conhecia bastante gente aqui. Fui aos poucos chegando lá. Fazia dupla com Alexandre Uley e depois com a Kelly Jorge. Hoje eu faço o horário do funk e do ‘Só as Melhores’, de 4h às 8h. Estou muito feliz com tudo, amo muito o que faço.

Audiência: Muita gente tem dito que o rádio está perdendo espaço. A FM O Dia é a prova viva do sucesso do veículo, especialmente aqui no Rio. Como você o momento deste mercado?

Dedé Galvão: Eu acho que nenhuma mídia está perdendo espaço, de maneira geral. As mídias estão convergindo. O rádio ainda é o veículo mais veloz e responsável pelos grandes eventos na cidade, você fica sabendo o que está acontecendo no local. O rádio é regional. É local e imediato. A gente tem uma internet que nos dá suporte. Existem canais no Youtube monstruosos, que possuem números maravilhosos. A FM O Dia tem o seu aplicativo também, com mais de 1,6 milhão de “dowlowds”. A rádio não repeliu as novas mídias. Abraçou e convergiu. Por isso que a rádio ainda é o fenômeno que é. Agora os outros veículos que veem a internet como inimigo e não abraçam, vão ter certa dificuldade. A FM O Dia tem um elenco muito bom na internet. Além de mim com meu canal, tem o David Brazil, muito forte da internet, tem o Gominho, Viviane Tenório, Alan Oliveira, o próprio Tino Júnior. A linha de frente é muito forte.

Audiência: Por fim Dedé, a gente sabe que você está batalhando rumo aos 100 mil seguidores no Instagram. Convida a galera a curtir você nas plataformas digitais e também no rádio.

Dedé Galvão: Exatamente. A batalha pelos 100 mil continua. Todos verdadeiros. Isso aí começou como uma brincadeira no canal da Antônia e virou uma meta. Muita gente torce, manda mensagem dizendo que está chegando lá. Uma brincadeira que virou realidade. Eu digo que quando você chega a 100 mil as coisas mudam na internet. [risos]. Uma brincadeira carinhosa e as pessoas acabaram abraçando a campanha. To no Instagram @dedegalvao meu canal no Youtube é Dedé Galvão. Pode procurar lá, dar like e seguir. Eu sempre respondo tudo. Não vejo como trabalho rede social, vejo como divertimento. Sempre gostei e estou nele!

Advertisement