Antonio Carlos faz balanço do primeiro ano de retorno à Super Rádio Tupi

A poucos dias de 9 de junho, quando completa 81 anos, Antonio Carlos tem outra data para comemorar de forma antecipada. Na próxima terça-feira, 29 de maio, o Madrugador do Brasil, como é carinhosamente conhecido no rádio, completa seu primeiro ano de retorno à Super Rádio Tupi.

O comunicador recebeu o Audiência Carioca para fazer um balanço desta nova fase e aproveitou para revelar outros momentos da carreira. Especialmente na TV, quando trabalhou como produtor de Silvio Santos. No rádio, revelou que ainda pretende voos mais altos com seu programa na Tupi e que não tem vergonha nenhuma de ser um homem extremamente popular.

#Audiência: Antonio Carlos, neste 29 de maio você completa o seu primeiro ano de retorno à Super Rádio Tupi. Qual o balanço que você faz deste momento?

Antonio Carlos: Emocionante o retorno para a Super Rádio Tupi. Uma casa que me lançou. Eu me sinto maravilhosamente bem aqui. Quando a gente fala ‘Família Tupi’ é porque realmente isso aqui é uma família. Todos se dão muito bem. Obviamente que o ser humano é falho. Tem ser humano que tem inveja de algumas coisas. Se existe isso, é uma coisa muito disfarçada. É uma coisa muito ‘light’, que não chega a prejudicar ninguém. Aqui vivemos todos em muita harmonia.

#Audiência: Como você avalia esse momento do rádio, especificamente no Rio de Janeiro, onde a crise parece mais acentuada comparada a outras praças?

Antonio Carlos: Não é bem uma crise, é uma transformação. Se bem que uma transformação não deixa de ser uma crise, porque você não tem mais as grandes rádios. Você tinha a rádio Mayrink Veiga, a Rádio Nacional, a Rádio Globo, a Rádio Tupi… E agora só tem a Rádio Tupi. As outras são rádios ‘vitrolões’, com salvação das rádios jornalísticas, que merecem todo nosso respeito. A Band, a Rádio CBN… E a JB, que está fazendo um trabalho muito bonito, embora seja também um ‘vitrolão’.

#Audiência: O público já conhece bem sua carreira no rádio, mas você também esteve na TV…

Antonio Carlos: Eu entrei para o rádio em 1958 para 1959, na Rádio Continental. De lá, eu fui para a televisão e fiquei na TV durante muito tempo. Às vezes eu entrava como apresentador, mas o trabalho era na produção e direção. Depois de um tempo fui para São Paulo, onde trabalhei com o Silvio Santos. Do Silvio, eu fui para na TV Globo. Fui um dos participantes da fundação da TV Globo. E aí decidi voltar à TV Tupi de SP, só que ela faliu… Eu estava acostumado com a televisão, tinha outra cabeça. Voltei para o rádio como apresentador e de lá fiquei até hoje. Fiquei aqui por 10 anos e em 1988 eu fui para a Rádio Globo, e lá fiquei por 30 anos. Voltamos para cá em 2017 e aqui estamos.

#Audiência: Aos 80 anos, com todo vigor físico, como é que você encara a rotina de acordar cedo e colocar o ‘Show do Antonio Carlos’?

Antonio Carlos: E fazendo ginástica [risos]. Mas eu gostaria de poder fazer mais, fazer três horas de programa, como eu fazia antes.

#Audiência: Sério? E como está isso?

Antonio Carlos: Eu to insistindo junto à direção. Eu estou lutando pelo que eu quero. Cada um que lute pelo que quer.

#Audiência: Hoje em dia, as pessoas buscam a popularidade, especialmente na internet. Você é um comunicador nato, um dos mais populares. Qual é o caminho para conseguir essa marca?

Antonio Carlos: É muito bom. A vida fica mais fácil. Você chega nos lugares, as portas se abrem, você encontra sempre amigos. É uma coisa muito boa. Eu agradeço profundamente, nestes 41 anos de ‘Show do Antonio Carlos’, ao público ouvinte do nosso programa, que nos prestigia e que nos mantém com vontade de continuar vivendo. Essa fórmula dá certo. Time que está ganhando não se mexe.

Imagem: Youtube – Rádio de Verdade