Opinião: Record TV dá aula de jornalismo popular durante cobertura da Greve dos Caminhoneiros

Se tem uma coisa que a Record TV sabe fazer é jornalismo popular. Tradicionalmente, a emissora sabe conversar com o grande público, especialmente com as classes C e D, carentes de diversos serviços essenciais. O que se viu neste sábado (26) e domingo (27) foi uma verdadeira aula de bom jornalismo, preciso e sem tomar partidos, limitando-se apenas a opinar e replicar as informações oficiais que aconteciam não só no Rio e em São Paulo, como em todo o Brasil.

Único telejornal em nível nacional nas manhãs de sábado, o ‘Fala Brasil’ abriu a programação do sexto dia de paralisações pelas rodovias. Embalado e com retorno do público em audiência, a Record TV seguiu em frente e movimentou suas equipes de reportagens por todo o país e trouxe muita informação. Sem dramas e alertando, dentro do possível, para as fake news – informações mentirosas, que só têm por objetivo espalhar o terror.

O auge da cobertura veio na parte da tarde de sábado (26), quando a emissora dedicou suas duas primeiras horas ao ‘Balanço Geral’ local e, a partir das 15h, à rede nacional. Coube a Reinaldo Gottino, Adriana Araújo e Luiz Bacci a responsabilidade de administrar e filtrar o que de mais importante acontecia tanto em Brasília, onde se esperava uma resposta do Governo Federal, como também nas rodovias, onde o clima era quente. De maneira eficiente, o trio aproveitou os ‘cacos’ que a Globo deixou na sua programação, já que a emissora carioca manteve algumas de suas atrações de fim de semana. A mesma dinâmica se repetiu no domingo (27).

Aliás, Adriana Araújo justificou, mais uma vez, o seu talento e sua capacidade de âncora. Foi o ponto de fuga da Record TV durante todo o fim de semana. Já Gottino e Bacci mostraram que podem jogar em todas as pontas: do entretenimento – sempre com humor, quando necessário – passando pelo bom jornalismo, não só local e nacional.

A lamentar apenas o desperdício de não ter feito um ‘Domingo Show’, ao vivo, com Geraldo Luís no embalo da cobertura e a não continuidade ao longo da tarde, quando o entretenimento cumpriu o seu roteiro.

A lição desse fim de semana é que a TV pode, sim, ser um hábito, com sua linha de shows e entretenimento, mas que é preciso ter a sensibilidade de perceber o momento. Há situações que o interesse público supera qualquer necessidade comercial. A Record TV soube fazer a leitura, recebeu uma justa homenagem dos grevistas (foto abaixo) e obteve um grande retorno de público. Merecidos prêmios a quem melhor soube trazer o que se mais precisava: informação.