Fábio Azevedo fala sobre carreira, rádio, TV e expectativa para a Copa da Rússia

Um profissional completo. Assim podemos definir Fábio Azevedo, repórter esportivo dos canais ‘Fox Sports’, ‘Rio FM’ e ‘JB FM’.

Atuante em diversos meios, como rádio, televisão e internet, o jornalista recebeu o blog para bater um papo sobre a carreira, os meios de imprensa e a ansiosa expectativa pela chegada da Copa do Mundo 2018.

Atualmente como repórter e debatedor do ‘Fox Sports’, Fábio Azevedo também dá expediente de segunda a sexta-feira no rádio: 8h15 e 17h15 na Rio FM e 8h40 e 17h50 na JB FM.

O currículo de Azevedo é extenso: Rádio Globo, ESPN Brasil, Band, Bradesco Esportes, universidades do Rio e assessoria de imprensa do Fluminense. Ufa, muita história para contar.

Então, vamos a ela. Confira na íntegra o bate-papo com esse que é um dos grandes nomes do jornalismo carioca.

#Audiência: Fábio, você retornou no início de março ao rádio após sete meses afastado, quando atuava na ‘Fanática FM’. Conta a importância desse seu retorno ao rádio carioca.

Fábio Azevedo: Amo o Rádio, meu primeiro veículo. A escola para a TV. Estes dois novos projetos, as colunas na JB FM e Rio FM são uma delícia de fazer e um exercício diário de linguagem. A JB é uma Rádio adulta e com linguagem mais séria para apresentar a coluna “Por Dentro do Jogo”. Na Rio FM, a coluna “De Prima” é feita para um público mais jovem e com linguagem mais leve, a qual permite brincadeiras, sendo que a informação não pode ser deixada de lado, mesmo com a presença do humor.

#Audiência: Como você vê o atual momento do rádio, especialmente no Rio?

Fábio Azevedo: O rádio passa por um período de transformação, de adequação à realidade do momento econômico do Estado. A publicidade migrou e grandes anunciantes não estão mais aportando valores vultuosos para o rádio. Entendo que este momento é duro, mas vai passar. Acredito muito no rádio e nas mudanças. A Rio FM é uma clara demonstração de que o rádio segue vivo. Novidade no dial e feita por um grupo forte, o grupo JB.

#Audiência: Você é um profissional múltiplo. Pode nos corrigir se estivermos errados: rádio, TV, sala de aula, internet e assessoria de imprensa de clube. Qual o segredo para atuar em todas essas posições?

Fábio Azevedo: Sempre busquei a versatilidade e entendo que este é o caminho para o profissional. Em qualquer área que você atue, importante buscar a polivalência, jogar em várias posições e sempre ficar à disposição. As atividades se complementam e tenho enorme prazer em desenvolvê-las.

#Audiência: Vamos falar do seu trabalho na TV: com passagens pela Band e pela ESPN Brasil, atualmente na Fox Sports Brasil você participa dos principais programas da casa como debatedor… O bicho pega lá…

Fábio Azevedo: É uma diversão trabalhar nos canais Fox Sports. Temos total liberdade de atuação e busca pelo melhor conteúdo. As discussões são sempre entre amigos. O ambiente é espetacular, o melhor por onde passei.

#Audiência: Sobre a Copa da Rússia, a gente apurou que há uma lista da emissora em aberto para saber quais profissionais irão ao Mundial. Muita expectativa sobre essa possibilidade de cobrir a Copa diretamente do país sede?

Fábio Azevedo: Claro que ano de Copa do Mundo mexe com todos os jornalistas esportivos e todos vão trabalhar, seja ‘in loco’ ou no Brasil. A expectativa pelo melhor trabalho é o que norteia o meu pensamento.

#Audiência: Mas, você já sabe se vai cobrir a Copa daqui do Brasil ou vai à Rússia?

Fábio Azevedo: Ainda não sei sobre a Copa.

#Audiência: O que você não fez na carreira que ainda busca como meta?

Fábio Azevedo: Cobrir uma Copa do Mundo fora do país.

#Audiência: Sobre o clube de coração, muitos jornalistas não gostam de dizer… Não é o seu caso. O que você acha disso?

Fábio Azevedo: Respeito, mas sempre digo meu time quando sou perguntado. E o mais legal é que muita gente garante que torço por outro time….. [risos]

#Audiência: Vamos bater um bola, Fábio. Jogo rápido. Tema e respostas curtas.

Rádio, TV ou sala de aulaTenho prazer nos três, mas a TV é o veículo que mais me realizo.

Melhor narrador: A TV tem grandes nomes que admiro e seria injusto apontar apenas um.

Melhor comentarista: Missão difícil. Outra função recheada de craques.

Referência na carreira: Tino Marcos [repórter da TV Globo].

Ser jornalista esportivo é: realizar um sonho em contar histórias com esporte.

Clubes do Rio representam: a paixão de pequeno.

Flamengo e Vasco na Libertadores: vão sofrer para avançar.

Botafogo e Fluminense no Brasileiro: precisam melhorar para não sofrer.

Melhor jogador atuando no Brasil é: Luan [atacante do Grêmio].

Melhor time do Brasil é o: Cruzeiro e Palmeiras.

Cristiano Ronaldo ou Messi: Caramba….não posso jogar com os dois? Messi…

Neymar representa: o presente e o futuro da seleção brasileira.

Na Copa da Rússia, o Brasil vai: longe sob o comando de um treinador que resgatou os valores do futebol brasileiro: a arte e o prazer.